Um batalhão de smarts à conquista de Salou

Patrícia Pereira
Patrícia Pereira
Editora Social Media

Quando tirei a carta de condução, os meus pais acharam por bem emprestar-me, para as primeiras voltas na pacata cidade de Beja, o velhinho SEAT Marbella da família. Era branco e tinha os bancos em ganga, material que, como toda a gente sabe, fica bem com tudo.

O que não ia muito bem com ele era o estado de nervos de uma novata que evitava a todo o custo a subida da estação dos comboios porque fazer pontos de embraiagem era evento para me trazer umas lagriminhas aos olhos e suor ao par de mãos inexperiente. Isto para não referir as vezes em que o carro morria em plena rotunda obrigando-me ao malabarismo de “puxar” o ar para uma reanimação em marcha.

Que fácil teria sido a vida de condutora se as minhas primeiras experiências de condução tivessem sido ao volante do mais cosmopolita dos automóveis, o smart. Carismático e maneirinho é ideal para as aventuras quotidianas da cidade, especialmente no que ao estacionamento diz respeito.

Lançado em Portugal em 2003, o seu nome teve origem nas marcas Swatch, Mercedes e art. É, desde sempre, um exemplar de jovialidade e estilo que alia um aguçado sentido prático de condução à desejada economia de consumos no dia-a-dia. Estes serão alguns dos elementos apreciados pelos apaixonados pelo ‘puto reguila’ dos automóveis citadinos. Todos juntos, formam uma comunidade que anualmente se reúne para o evento internacional de nome smart times.

Este ano, Salou foi o destino escolhido pela marca para receber perto de 3.000 participantes vindos de 32 países. A Costa Dourada espanhola provou ser o cenário perfeito para os vários momentos que preencheram o programa de dois dias da 17ª edição do encontro este ano realizado sob o lema “Electrify Your Life”.

Entre concertos e passeios por zonas de exposição, foi possível apreciar a originalidade de verdadeiros “smartoólicos” que transformaram os seus muy estimados automóveis em obras de…arte, vá.

Desde homenagens ao falecido ator de Velocidade Furiosa (com um modelo decorado à Toyota Supra), Paul Walker, a uma customização que transformou um smart num Papa Móvel, de tudo se pôde ver e não se vai aqui questionar o gosto alheio. De manhã à noite, áreas de lazer, muita luz e cor, tudo à beira mar em dois animados dias de sol que permitiram o encontro e partilha de experiências dos aficionados pela marca. Como se percebe, música também não faltou e os presentes puderam igualmente ver e ouvir um concerto da banda Nervo, um duo australiano de DJs com créditos já firmados e que serviu para animar uma das noites. Como se fosse precisa ainda mais animação.

O evento que, recorde-se, teve Cascais como palco em 2014, serviu também para demonstrações dos novos modelos elétricos smart, fortwo e forfour, modelos que em breve irão chegar ao mercado nacional com novas capacidades elétricas.

Como é já tradição, o ponto alto desta experiência foi a parada smart times que levou às ruas de Salou mais de 500 automóveis num animado percurso em ambiente de festa do primeiro ao último quilómetro, daqueles que fazem virar cabeças e pedem festarola e aplausos dos transeuntes. No total, foram 532 carros da marca alemã a percorrer as ruas da cidade.

Não sabemos se foi o apelo das cañas e do tinto de verano que se seguiriam, mas que esta malta se aguenta à bomboca de uma marcha lenta debaixo do sol abrasador da Catalunha, não haja dúvida. Nem sobre isso nem sobre o quão mais fácil teria sido a minha vida de primeiras rotundas e subidas em direção ao Pax Julia se o meu primeiro carro tivesse sido um smart. Começar a conduzir teria sido uma festa.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.