Euromilhões para Pascal Wehrlein…

Toto Wolff revelou que a Mercedes está preparada para tomar uma decisão corajosa na escolha do piloto que vai substituir Nico Rosberg, e embora essa possa ser uma frase com diversas leituras, a mais óbvia é que a Mercedes já decidiu que vai ser Pascal Wehrlein o piloto escolhido.

Caso se confirme, fica mais uma vez a prova que por vezes a vida dá grandes reviravoltas e depois de há poucas semanas o jovem alemão, Campeão do DTM 2014, ter ficado extremamente zangado com o facto de ter sido Esteban Ocon o escolhido pela Force India, apesar de ter somente entrado na F1 no GP da Bélgica deste ano, enquanto Wehrlein já estava na Manor desde o início do campeonato, agora poderá ser Ocon a por as mãos na cabeça e lamentar a sorte que teve…

“Claramente o Nico tomou a decisão muito tarde e nós ficamos numa situação comprometedora, pois há três meses o mercado era bem diferente do que é agora. Havia muito mais gente livre! Tal agora tenhamos que tomar uma decisão corajosa, do mesmo modo que o Nico tomou essa mesmo decisão corajosa” disse Wolff.

Esta leitura parece óbvia, mas também, na verdade, pode não ser assim, pois Valtteri Bottas também pode ser uma decisão corajosa, pois Wolff pode estar a referir-se ao dinheiro que a Mercedes irá ‘perder’ ao ir buscar Bottas à Williams, pois nesse contexto teria que fazer um enorme desconto no valor dos motores à equipa de Grove, que ficaria em muito maus lençóis no que aos pilotos diz respeito, porque, simplesmente não há ninguém à altura de Bottas para o substituir na Williams, e mesmo sendo evidente que o destino de Wehrlein passaria a ser a Williams ao invés da Sauber, a verdade é que não é a mesma coisa. Por outro lado, todos sabemos que Bottas está de olho no lugar de Raikkonen, que deverá, em 2017 fazer o seu último ano na F1, e por isso, passar agora para a Mercedes, sim, mas só se não for para ser apenas guarda de honra do Mundial de Construtores…

Wolff também admitiu Fernando Alonso, mas pelo que se percebeu através das reações públicas dos diversos intervenientes, não será possível ao espanhol sair de Woking, pois a questão contratual deverá ser demasiado complicada para resolver, mas caso o espanhol tenha tido a vontade de fazer a troca e a McLaren lhe tenha cortado as pernas é certo e sabido que para o ano vamos ter um Alonso ainda mais queixoso se a equipa não lhe colocar o carro que aspira desde o ano passado…

Há ainda várias coisas que podem suceder, mas lendo as declarações de Wolff nas entrelinhas, significa perceber que a estratégia está escolhida, vão colocar ao lado de Lewis Hamilton um piloto para fazer um claro papel secundário.

José Luis Abreu / Autosport