Vettel: “Quero pedir desculpa a Hamilton”

Depois de uma reunião com os responsáveis da FIA, liderados pelo presidente Jean Todt, Sebastian Vettel emitiu um pedido de desculpas pelo episódio no Grande Prémio do Azerbaijão, quando investiu contra o Mercedes de Lewis Hamilton, zangado por este alegadamente lhe ter feito um ‘brake test’. Na reunião de Paris esteve também o diretor da Ferrrari, Maurizio Arrivabene.

Vettel saiu da reunião sem mais castigos pela sua colisão em Hamilton, para além dos 10 segundos de ‘stop & go’ recebidos na corrida de Baku, O alemão arriscava uma pesada multa, desqualificação da corrida do Azerbaihão e até a uma suspensão por uma corrida por parte da Federação Internacional do Automóvel, que acabou por decidir-se por perdoar mais punições ao líder do Campeonato do Mundo.

No seu site Sebastian Vettel escreveu: “No que diz respeito aos incidentes de Baku gostaria de explicar-me. Durante a volta de recomeço fui surpreendido por Lewis e bati no seu carro. Acredito que não teve quaisquer más intenções. No calor da ação reagi exageradamente e por isso quero pedir desculpa a Lewis diretamente, bem como à pessoas que estavam a ver a corrida. Percebi que não estava a dar um bom exemplo. Não tive qualquer intenção de colocar Lewis em perigo mas percebo que causei uma situação perigosa”.

No seu comunicado Vettel também pede desculpa à FIA e diz que aceita e respeita as decisões que tomou em Paris bem como o castigo que lhe foi imposto pelos comissários desportivos em Baku. O alemão, que fez 30 anos no dia de reunião, teve como que uma espécie de prenda de aniversário o facto de não ter sido sancionado pela Federação Internacional, que decidiu dar o assunto como encerrado.