Hamilton: “É a primeira vez que ele me vence em 18 anos, portanto não foi uma surpresa”

Lewis Hamilton mostrou-se pouco surpreendido com a retirada inesperada de Nico Rosberg. O piloto britânico admitiu que irá sentir falta da “rivalidade”, mas que com Rosberg a vencê-lo pela primeira vez em 18 anos, a decisão esteve longe de causar admiração:

“O desporto irá sentir a falta dele, mas desejo-lhe o melhor. Tenho a certeza que é uma surpresa para muita gente. Provavelmente sou a única pessoa que pensa o contrário, uma vez que o conheço há muito tempo. Mas isto faz parte do desporto motorizado”, adiantou.

“Esta é a primeira vez que ele me venceu em 18 anos, daí não ser uma surpresa para mim que ele tenha decidido parar. Ele tem uma família com que se preocupar. Quer ter mais filhos e a Fórmula 1 ocupa muito tempo. Se irei sentir a rivalidade? Obviamente. Sempre falámos sobre sermos campeões do mundo e quando me juntei a esta equipa e o Nico já aqui estava, é também algo que sempre falámos quando éramos crianças. Será definitivamente algo muito estranho e sentir-me-ei triste por não tê-lo do outro lado da garagem no próximo ano”.

Lewis Hamilton admitiu ainda que teria preferido ter a oportunidade de recuperar o título a Rosberg em 2017, embora não esteja incomodado com a decisão:

“Não diria que fiquei chateado. Claro que é uma pena que ele não me permita recuperar o título ou lutar por recuperá-lo, mas essa é a escolha dele e eu respeito a sua decisão – de sair no topo enquanto podes. Tenho uma visão distinta. Venci o campeonato nos últimos dois anos e dei-nos uma oportunidade por lutar por ele novamente. É assim que eu sou. Acredito constantemente nas minhas capacidades e no que posso fazer. Se vencer outra vez vou querer outra oportunidade. Adoro correr e ser desafiado por diversos concorrentes. Novamente, corremos há 18 anos, portanto este não é o pior cenário para mim”.

André Bettencourt Rodrigues / Autosport