Para estabelecer uma colónia humana em Marte, como é objetivo da NASA, os astronautas vão precisar de comer. Mas Marte é um planeta que já não é capaz de suportar vida, e idas ao supermercado estão fora de questão. A solução é tentar aproveitar qualquer nutriente que esteja no solo, ao mesmo tempo que se tenta simular o ambiente terrestre. E essa já foi providenciada pela Universidade do Arizona.

A sua Faculdade de Agricultura e Ciências de Vida (CALS) criou o protótipo do que se espera ser uma estufa para produção agrícola, que vai poder ser utilizada em planetas que não podem suportar vida humana. Chamada Estufa Lunar/Marciana, vai poder permitir a qualquer missão humana de longo prazo criar os seus próprios vegetais. Estes não vão só providenciar comida, mas também reciclar oxigénio.

O conceito foi chamado de “sistema de suporte de vida bio-regenerativo. A ideia é providenciar alimento para os astronautas, restaurar o ar respirável e fazer filtração e reciclagem da água e de todos os dejetos produzidos. Desta forma, este ambiente vai poder estar sempre em circuito fechado, sem perdas de matéria e energia. Sendo especializada em agricultura, a CALS Arizona está a analisar quais são as plantas e sementes mais apropriadas para a missão da NASA.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.