Um dos problemas com o aquecimento global tem sido o desaparecimento dos glaciares. Em condições normais, os glaciares têm uma dimensão variável mas são permanentes, derretendo nos níveis mais baixos e enviando água para as zonas montanhosas mais próximas. Mas os glaciares já não se comportam como devem, e zonas montanhosas sofrem secas durante os períodos de verão.

A zona de Ladakh, uma área disputada ente Índia e China na província de Jammu-Caxemira, situa-se a uma altitude de 2500 a 4000 metros acima do nível do mar, no oeste da cordilheira dos Himalaias, e é bastante vulnerável a secas. Mas o engenheiro local Sonam Wangchunk criou uma solução, um cone ou pirâmide de gelo, que sobrevive quando a temperatura do ar aquece, fornecendo águas às populações nos meses mais complicados.

A pirâmide de gelo, ou stupa, como é conhecida localmente, faz uso de força gravitacional para transportar água para zonas secas, numa época do ano onde o fluxo do rio mais próximo é maior, mas sub-aproveitado. Atirada para o ar, a água começa a congelar a temperaturas de 20 graus negativos, atingindo alturas que chegam aos 16 metros, com um volume que sobrevive até maio mesmo quando a temperatura do ar atinge 20 graus positivos.