A carrinha de off-road mais barata em Portugal

A Dacia encontrou no todo o terreno Duster uma fonte de sucesso e atenção para a marca. Com a carrinha Logan MCV Stepway volta a mostrar não só que é possível ser low cost, como ser cativante – o fora de estrada volta a ajudar a marca!

Stepway é o nome que a Dacia deu para as versões fora de estrada dos seus modelos. A filosofia que já se tinha visto com sucesso no Sandero, chegou este ano à carrinha Logan MCV, que já é um crossover. Na primeira portagem por onde passámos depois de levantar o Logan, tivemos o primeiro veredito sobre a estética. “Quem diria que um Dacia podia ter piada, como este, muito bem”, disse-nos o portageiro.

A opinião é subjetiva, é certo, mas estas versões a pensar no fora de estrada têm dado uma estética mais interessante e com ar mais robusto aos modelos da marca que pertence à Renault. Neste caso, a carrinha fora de estrada da Dacia é a mais barata – de longe –, num mercado onde quase todas as alternativas são premium e muitos euros mais caras – disso é exemplo a Volvo XC70 ou a Audi All Road ou as mais em conta, Skoda Octavia Scout e a VW Golf Alltrack.

Mas vamos aos pormenores. O que muda no Logan MCV Stepway? Além da maior altura ao solo, em 50 milímetros – relevante para o fora de estrada, como veremos mais à frente –, há ainda proteções plásticas, jantes específicas e barras cromadas no tejadilho.

Todos estes elementos contribuem para lhe dar um aspeto mais sólido e robusto, mas também para dar mais alguma proteção para situações de fora de estrada. A juntar a estas caraterísticas está a tonalidade azul elétrico, que é usada nas versões Stepway.

Apresentado em março, no Salão de Genebra, a nova versão mantém as qualidades já conhecidas do Logan MCV, onde a bagageira de 575 litros ocupa um lugar de relevo – com os bancos rebatidos não só chega aos 1680 litros, como permite transportar objetos até aos 2,7 metros de comprimento. Mesmo sendo um pouco mais pequena do que rivais como a Skoda Octavia Scout ou a VW Golf Alltrack, são valores relevantes para um modelo com um preço abaixo dos 18 mil euros.

A juntar a tudo isto, a versão Stepway distingue-se no interior pelos bancos pespontados e vários elementos do tablier em azul. Mesmo que não tenha as mordomias de rivais premium, como seria de esperar, é sóbrio e minimamente agradável, mesmo que os materiais estejam longe de serem os melhores. O volante também é mais convincente do que em modelos anteriores da Dacia.

Além disso, temos vidros elétricos, sensores de estacionamento, cruise control e um sistema multimédia centrado num ecrã de 7 polegadas, que serve perfeitamente (com Bluetooth e GPS).

A tração é dianteira, sem possibilidade de ter tração integral e em Portugal só está disponível, o motor 1.5 dCi, de 90 cv, que foi o que testámos neste ensaio, e o TCe, a gasolina, também de 90 cv.

Quando fomos com ele para o fora de estrada, manteve-se sólido e previsível, embora não permita o à vontade em zonas com pedras soltas e areia que podia ter se pudéssemos contar com tração integral. Também não nos podemos queixar do conforto, já que absorve bem as irregularidades da estrada, a que também ajudam as jantes de 16 polegadas.

Os consumos anunciados na versão diesel são simpáticos, num motor já amplamente conhecido e utilizado pela Aliança Renault-Nissan, com médias nos 3,9 l / 100 km (a versão Stepway tem um pouco mais de resistência aerodinâmica, o que não é favorável para o consumo). A caixa de cinco velocidades, é bem escalonada e não sofre na autoestrada – ir à velocidade legal não pesa em demasia no consumo, como acontece com algumas versões do Dacia Duster.

No nosso teste, fizemos consumos de 6 l / 100 km, o que é razoável. Tem boa resposta no arranque – faz dos 0-100 km/h em 13 segundos –, mas sofre um pouco nas recuperações, já que o peso do Logan se faz sentir. Mas é fiável e previsível. A direção não é tão suave quando modelos mais caros, mas é mais agradável do que o Duster e apesar de ter a suspensão um pouco elevada, não oscila em demasia em curvas e transmite alguma confiança ao condutor. Low cost ou não, é relativamente agradável de conduzir.

Veredicto

A versão Stepway dá um ar mais robusto e cativante ao Logan MCV, naquela que é a carrinha all road mais barata do mercado. Confortável q.b., equilibrada, com alguns extras como cruise control, temos muito com poucos euros, num automóvel tão previsível quanto convincente… para o preço.

Ficha Técnica

Motor – 4 cilindros em linha, common rail, turbo, gasóleo

Cilindrada (cm3) – 1461

Potência máxima (cv/rpm) – 90/4000

Binário máximo (Nm/rpm) – 220/1750

Tracção – dianteira

Tipo Transmissão – caixa manual de 5 vel.

Suspensão (fr/tr) – tipo McPherson / barra de torsão

Dimensões e pesos (mm) – Comp./largura/altura 4528 / 1761 / 1590

Peso (kg) – 1090

Capacidade da bagageira (l) – 573

Depósito de combustível (l) – 50

Prestações e consumos – aceleração 0-100 km/h (s) 13; velocidade máxima (km/h) 170; Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 3,8/4,1/3,9; emissões de CO2 (g/km) 100;

Preço da versão ensaiada (Euros) €17.456

João Tomé

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.