Seat Ibiza 1.0 TSI: E o Leon aqui tão perto!

Adotando a receita de sucesso de outros construtores que inspiram os modelos da classe mais baixa nos “irmãos mais velhos” do segmento superior, a SEAT conseguiu aproximar o novo Ibiza do Leon, a todos os níveis. Resultado? Um carro cheio de personalidade e atrativos para conquistar “miúdos e graúdos”.

Com cerca de 11 versões a gasolina (entre diferentes motorizações e linhas de equipamento) e oito a Diesel (que apenas deverão chegar a Portugal no final do ano), o Ibiza apresenta-se em plena forma, para tentar ascender ao topo da hierarquia entre os pequenos utilitários. Na versão 1.0 TSI 115CV XCELLENCE encontramos um notável equilíbrio estético e dinâmico, que o relançará na sempre competitiva corrida do segmento B.

Exterior

Mais do que uma moda no seu segmento, as carroçarias de cinco portas vieram para ficar e o Ibiza não foge à regra. Com cinco portas, o Ibiza ganhou desde logo versatilidade, mas são os ares de “Leon” no design da carroçaria e desenho das óticas dianteira e grelha frontal que mais o fazem sobressair. Estreando a plataforma MQB A0 (que será a mesma dos futuros VW Polo e Audi A1), o Ibiza, ao contrário de todas as expetativas, não cresceu, tendo, inclusive, perdido 2 mm de comprimento para a anterior versão, medindo agora 4059 mm. Também está mais baixo 1 mm (1444mm), o que lhe dá um ar mais compacto e só no que à largura diz respeito é que os engenheiros de design reviram em alta as medidas exteriores. O Ibiza cresceu para os lados 87 mm, medindo agora 1780 mm. Em termos de proporções, a distância entre eixos também foi revista, tendo aumentado 95 mm (2564 mm), o que confere ao utilitário um comportamento mais estável, como à frente, por certo, se confirmará. Grosso modo, a estética é apelativa, com linhas minimamente encorpadas e “body” se não musculado, pelo menos tonificado.

Interior

É sem qualquer esforço que se notam as diferenças entre o velho e o novo Ibiza, no habitáculo. Qualidade de construção elevada, design moderno e apelativo e funcionalidade são vetores que colocarão, certamente, a principal aposta da SEAT em rota de colisão com o sucesso. Os comandos são ergonómicos e funcionais (estando a maior parte deles disponíveis no écran tátil central de 8’’), mas boa parte das funcionalidades são também acessíveis através do volante, nomeadamente, as principais funções do computador de bordo. Já a posição de condução perfeita nem sempre é fácil de chegar, ao contrário da habitabilidade dos lugares da frente que ganhou 42 mm e é agora plenamente satisfatória para um veículo deste segmento. Atrás, a já referida superior distância entre eixos, trouxe os seus benefícios, possibilitando mais 370 mm de espaço entre o final dos bancos dianteiros e o traseiro, que, naturalmente, as pernas agradecem. Curiosamente e apesar de ser mais baixo, tantos os passageiros da frente como os de trás passaram a dispor de maior altura dentro do habitáculo, o que significa que o Ibiza aparece mais colado ao chão!

Ao Volante

Dotado com um motor 1.0 de cilindrada, que auxiliado pela sobrealimentação de turbo, oferece 115 cavalos, é muito fácil aliar aos trunfos de estética, boa qualidade de construção e agradabilidade no habitáculo a uma experiência de condução dinâmica positiva. Com uma caixa manual de seis velocidades e quatro modos de condução distintos – “Eco”, “Normal”, “Sport” e “Individual” -, comutáveis através da tecla “Mode” instalada ao lado da alavanca da caixa de velocidades, o carácter deste Ibiza pode mudar ligeiramente, com a alteração de parametrizações que afetam a resposta e sonoridade do motor, a direção (mais pesada na configuração “Sport”), a iluminação ambiente e o ar condicionado, mas não se esperem mudanças verdadeiramente radicais pois eles são mais subtis que De toda a maneira, há sempre um “feeling” positivo em andamento, com o motor a demonstrar logo “alegria” desde os regimes mais baixos (binário de 200 Nm/2000-3500 rpm), mas com a energia a tornar-se menos efusiva à medida que a agulha do conta-rotações se aproxima da lista vermelha interdita. Nada que impeça uma condução descontraída e desembaraçada, na estrada e autoestrada, mas, sobretudo, na cidade, onde, provavelmente, a maior parte destes novos Ibiza passarão o seu tempo.

O acerto de suspensão, elemento essencial para proporcionar uma condução agradável, foi bem conseguido e, em ritmos mais elevados, é possível sentir sempre o Ibiza “na mão”, sem espantar a segurança ou perder a confiança já que ajudas eletrónicas como o controlo da estabilidade (não é possível desliga-lo, nem parcial, nem totalmente) castram alguns excessos que os mais “ariscos” possam cometer.

Sistemas de Assistência à Condução e Conetividade

O equipamento do Ibiza, na versão XCELLENCE é bastante completo e funcional, conjugando diversos sistemas de assistência à condução com sistemas de conetividade, que permitirão ao utilizador não só sentir-se mais seguro, como ter o “mundo” mais próximo de si. Nos itens da segurança, e entre os que prometem fazer mais furor, há que contar com o sistema de travagem automática com deteção de peões, o controlo de pressão de pneus, o cruise control e o sistema de deteção de fadiga. Mas como estar em segurança também é ver o melhor possível, pode contar igualmente com faróis de nevoeiro com função “cornering”, com o Pacote “LED” (que inclui farolins traseiros com LEDs, iluminação ambiente, faróis de dupla ótica com luzes diurnas LED, iluminação na zona dos pés na parte dianteira e consola central) e com sensores de estacionamento traseiros.

Se o ar condicionado automático bizona e o Pacote “Arrumação” (com porta-objetos sob o banco do condutor e apoio de braço dianteiro) são mimos gratuitos no capítulo do “bem-estar”, já na questão da conectividade não faltam também argumentos para este Ibiza corresponder às necessidades modernos dos clientes mais jovens, como comprova a adoção do “Sistema de Som Media”, com volante multifunções, 6 altifalantes, ecrã tátil de 5´´ a cores, Bluetooth – telefone e streaming – e conexão Aux-in/USB.

Equipamento Opcional

O Pacote XCELLENCE Plus, com câmara de visão traseira + Faróis SEAT Full LED + Sistema de Navegação custa 1870 €, mas é possível construir também um Ibiza sem este pacote e em forma de “puzzle”, adicionando alguns extras isolados de acordo com as preferências ou necessidades de cada um. Por 150 €, é possível ter o sistema Full Link (com Mirror Link + Apple + Google), por mais 815 € o sistema de navegação e por mais 200 € o Pacote “Conectividade” (com carregador por indução e amplificador de sinal GSM). E por falar em Pack’s, o Pacote “Inverno” (com bancos dianteiros aquecidos, com regulação em altura e jato de água do limpa para-brisas aquecido) amplia o preço e mais 350 €, o Pacote “SEAT Full LEAD” (com todos os itens do Pacote LED + regulação automática e dinâmica do alcance dos faróis dianteiros + iluminação na zona dos pés na parte dianteira e consola central LED, faróis dianteiros LED, iluminação da matrícula com LED) tem um custo superior de 595 €.

Dotar o Ibiza com alarme (245 €), acesso mãos-livres (300 €), cruise control adaptativo com “front assiste” (210 €), sensores de chuva/luz (425 €), pintura metalizada (425 €), duplo piso na mala (195 €), teto panorâmico de abertura elétrica (821 €), jantes de liga leve 16’’ (415 €) ou jantes de liga leve 17’’ (615 €) vai certamente encarecer o preço final, mas tornar, certamente, o Ibiza mais exclusivo.

Consumos

Fator decisivo neste segmento são os consumos. Com motor de litro, sobrealimentado e q.b. energético, a que adiciona relações de caixa mais cumpridas que curtas, a SEAT anuncia consumos médios de 4,7 litros/100 km. Na prática, a história é ligeiramente diferente e só andando com o acelerador “ao colo” será possível chegar a valores parecidos, que rondam os 5.8 litros/100 km. Mas se a tendência for para ter o “pé pesado”, então, prepare-se, que, apesar da pequena cubicagem, o propulsor TSI revela-se “guloso” e não se ensaia muito para lhe colocar no computador de bordo médias superiores a 7 litros/100 km, que na “função” “tudo o que o motor tem para dar” facilmente ultrapassa os 9 litros/100 km.

Preço

Ao pedir 19.763 € (grosso modo, cerca de 20.000 €) pelo Ibiza 1.5 TSI 115 Cv XCELLENCE, a SEAT coloca no mercado um dos mais caros carros do segmento, mas também o mais moderno e dos melhores equipados, pelo que não se poderá considerar o preço desajustado.

As alternativas ao novo Ibiza 1.0 TSI 115 Cv Xcellence são mais do que muitas, ainda que nem todos os construtores tenham adotado ainda as motorizações de litro sobrealimentadas com turbo, que mais do que uma moda, são uma importante “bengala” para tornar os preços mais atrativos. Com potências que variam entre os 100 e os 120 Cv, níveis de equipamento mais completos, nuns casos, e menos, noutros, e performances e consumos, de uma maneira geral muito equivalentes, a decisão final de compra passará muito pela motivação pessoal do seu utilizador. Mas numa coisa este novo Ibiza é, desde já, imbatível: a capacidade de bagageira de 355 litros nenhum dos seus rivais consegue oferecer!

Balanço Final

A quinta geração do Ibiza e, em particular, a versão menos desportiva da motorização 1.5 TSI (a mais desportiva é a “FR”, com os mesmos 115 cv), promete destacar-se entre “irmãos”, “primos” e desconhecidos. Com um espírito vivo e moderno, quer nas elegantes formas exteriores, quer nos argumentos do habitáculo, corresponde a praticamente todos os anseios de quem procura um automóvel “fresco”, prático, desenvolto e muito “plural”, que tanto está à vontade no ecossistema da cidade, como no da estrada e autoestrada. Claro que não é perfeito, mas é um passo substancial “à frente”, face à geração que vem agora render.

Filipe Pinto Mesquita

 

FICHA TÉCNICA

Motor

Tipo – 3 cilindros em linha, injeção direta, turbo, intercooler

Cilindrada (cm3) – 999

Diâmetro x curso (mm) – 74.5 x 76.4

Potência máxima (Híbrida) (cv/rpm) – 115/5000-5500

Taxa de compressão – 10.50: 1

Binário máximo (Nm/rpm) – 200/2000-2500

Transmissão e direção – Tração dianteira, Caixa manual de 6 velocidades; direção elétrica

Suspensão (fr/tr) – Independente McPherson/Eixo de Torção

Prestações e consumos

Aceleração 0-100 km/h (s) – 9.3

Velocidade máxima (km/h) – 195

Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) – 4.1/5.8/4.7

Emissões de CO2 (g/km) – 108

Dimensões e pesos

Comp./largura/altura (mm) – 4059/1780/1444

Distância entre eixos (mm) – 2564

Largura de vias (fr/tr) (mm) – 1525/1505

Travões (fr/tr) – Discos ventilados/discos

Peso (kg) – 1140

Capacidade da bagageira (l) – 355 (até 1165)

Depósito de combustível (l) – 40

Pneus – 185/65 R15

Preço versão ensaiada (€) – 19.763

Concorrentes

  • Ford Fiesta 1.0T Ecoboost Titanium (1.0 litros, 125 Cv, 194 km/h, 9.4s 0-100km/h, 4.3 l/100 km, 99 g/km, 18.780 €)
  • Hyundai i20 1.0 TGDI 120 HP Turbo (1.0 litros, 120 Cv, 190 km/h, 10.4s 0-100km/h, 4.8 l/100km, 112 g/km, 16.690 €)
  • Kia Rio 1.0 Turbo TX (1.0 litros, 100 Cv, 188 km/h, 10.7s 0-100 Km/h, 4.5 l/100km, 102 g/km, 19.307 €)
  • Mazda 2 1.5 Skyactiv-G 115 Excellence (1.4 litros, 116 Cv, 200 km/h, 8.7s 0-100km/h, 4.9 l/100 km, 18.652 €)
  • Opel Corsa 1.0 T 115 Innovation (1.0 litros, 115 Cv, 195 km/h, 10.3s 0-100km/h, 4.9 l/100 km, 113 g/km, 17.450 €)
  • Peugeot 208 1.2 PureTech 110 Allure (1.2 litros, 110 Cv, 190 km/h, 9.6s 0-100km/h, 4.5 l/100 km, 99 g/km, 20.650 €)
  • Renault Clio 1.2 TCe Energy GT Line (1.2 litros, 120 Cv, 199 km/h, 9.0s 0-100km/h, 5.3 l/100 km, 118 g/km, 18.850 €)
  • Skoda Fabia 1.2 TSi Style (1.2 litros, 110 Cv, 196 km/h, 9.4s 0-100km/h, 4.8 l/100 km, 110 g/km, 18.387 €)
  • Suzuki Baleno 1.0T GLX (1.0 litros, 111 Cv, 200 km/h, 11.4s 0-100km/h, 4.4 l/100 km, 111 g/kg, 17.645 €)
  • Volkswagen Polo 1.0 TSI 110 Highline (1.0 litros, 110 Cv, 197 km/h, 9.3s 0-100/km, 4.3 l/100 km, 110 g/kg, 20.359 €)

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.