Veja como fica o Império Romano transformado numa rede de metropolitano

No tempo dos romanos ainda não havia metropolitano, mas ninguém tinha um melhor sistema de estradas que eles. E é por causa disso que eles conseguiram manter um império tão grande e durante tanto tempo. Comparando com a tecnologia que existia há 2000 anos, as estradas deles são quase o equivalente às nossas auto-estradas com três faixas para cada lado.

Mas o mais importante não é como as estradas, mas sim o que fazia, o que neste caso era permitir acesso rápido e direto a qualquer ponto do império. Quase como se fosse uma rede de metropolitano. E foi isso que inspirou Sasha Troubetskoy, um estudante de estatística na Universidade de Chicago, a criar este mapa, transformando as estradas romanas numa linha de comboio subterrâneo.

Sasha admite que teve de tomar algumas liberdades, mas o posicionamento das vias não está muito longe do real, e quase todas usam os nomes originais, inclusive a famosa Via Appia, que ligava Roma a Brundisium, ou a Via Flavia, para ligar as províncias gaulesas de norte a sul, a Via Dalmatica para conectar Roma à Grécia através do Adriático, e até a Via Lusitanorum, ligando Braga, Coimbra, Porto, Lisboa e Beja.

Pode ver o mapa em maior resolução aqui.