A indecisão da Bentley em torno do seu próximo modelo para a sua gama parece ter chegado ao fim. A marca britânica de modelos de luxo deverá optar por um novo desportivo de elevadas prestações para concorrer com os modelos correspondentes da Aston Martin, Ferrari e Porsche, preferindo essa vertente a um novo SUV compacto que fosse compor a sua marca.

Com o sucesso de vendas que é o Bentayga, a primeira incursão da Bentley pelo segmento dos SUV de luxo, a companhia atravessava um período de indecisão face ao modelo seguinte a produzir, havendo duas hipóteses a seguir pela firma atualmente integrada no Grupo Volkswagen: por um lado, mais um SUV, embora mais compacto, para posicionar abaixo do já referido Bentayga, que potenciasse ainda mais as vendas crescentes deste segmento, por outro, um desportivo com base no concept EXP10 Speed 6 que foi revelado no Salão de Genebra de 2015 e que recebeu numerosos elogios pelo seu desenho muito apelativo.

Agora, Wolfgang Dürheimer, CEO da Bentley, admite que será mesmo este último a receber luz verde para ser produzido, assentando numa premissa de posicionamento de marca que aquele executivo quer manter para os seus produtos.

“Sabemos qual será a nossa gama adicional de produtos e trará para a Bentley novos clientes – mais jovens e mais dinâmicos”, referiu em declarações à revista britânica Auto Express, passando a explicar o ponto de vista por detrás dessa sua observação. “O problema com um SUV mais pequeno é que acabaria por concorrer com muitas outras marcas Premium e não de luxo. Por outro lado, com a ideia de produto que temos, estaremos a concorrer com as nossas rivais de luxo. É isso que eu prefiro”, afiançou, respondendo afirmativamente à pergunta se a Aston Martin era uma das concorrentes de que falava.

A passagem à produção deste novo Bentley deverá receber luz verde em breve da ‘casa-mãe’, entenda-se o Grupo Volkswagen, sendo a sua chegada ao mercado previsível para 2019. Sobre este processo, o CEO da Bentley admite que o compromisso da administração do Grupo Volkswagen em investir neste projeto está a ser dificultado pela decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia. Contudo, a possibilidade de o Barnato vir a contar com uma motorização elétrica numa fase em que o grupo germânico pugna pela mobilidade elétrica poderá jogar a favor do desportivo da Bentley.

Porquê Barnato?

Para se perceber o nome Barnato há que recuar até à primeira metade do Século XX, mais concretamente para os anos que intervalaram as duas grandes guerras mundiais. Woolf Barnato é o mais conhecido dos pilotos da Bentley na época (denominados ‘Bentley Boys’), tendo granjeado três triunfos consecutivos nas 24 Horas de Le Mans (1928, 1929 e 1930). Tal como a Bugatti, também do grupo Volkswagen, tem feito com os seus modelos mais recentes – o Veyron e o Chiron – também a Bentley homenageia assim os seus heróis do passado.