Lembra-se deste anúncio televisivo? Um jovem indiano vê um Peugeot 206 numa revista e fica imediatamente com vontade de comprar um. Só havia um probleminha… nessa época a Peugeot não vendia carros na Índia, e o jovem usa a sua criatividade para transformar um modelo local, o Hindustan Ambassador, no carro dos seus sonhos. Bem, agora o sonho vai mesmo tornar-se realidade sem precisar da ajuda de elefantes e choques em paredes.

O Grupo PSA Peugeot Citroën pretende entrar no mercado indiano com o objetivo de repetir o mesmo sucesso que tem conhecido na vizinha China. Como parte do seu plano de ataque, acabou de adquirir o nome Ambassador à Hindustan Motors, que já não produz automóveis de passageiros com a sua marca, desde que terminou a produção do Ambassador, em 2014.

Baseado no Morris Oxford de 1948, o Hindustan Ambassador ajudou a motorizar a Índia. Foi lançado naquele país em 1957, e era versátil o suficiente para ser usado tanto como carro familiar como táxi ou até como viatura governamental. Foi sendo atualizado constantemente, mas sempre mantendo a sua arquitetura original. Tal como o VW Carocha na América Latina, continuou a ser um preferido dos taxistas pela sua versatilidade até ao final da sua produção.

A Peugeot anunciou o seu plano de entrar no mercado indiano em 2016, e deverá começar a desenvolver modelos para as especificidades do mercado local em 2018. O futuro Peugeot Ambassador deverá chegar ao mercado em 2021, e deverá ser desenvolvido para um segmento local, onde os carros com menos de 4 metros e com motor 1.2 a gasolina ou 1.5 Diesel têm desconto no imposto automóvel.

M. Francis Portela