A Ford confirmou o regresso de um nome que é icónico na sua história, o Bronco, modelo que terá como base a nova Ranger, pick-up que nos Estados Unidos da América é apenas considerada de dimensões médias.

Falando ao Autoline Detroit, Raj Nair, o vice-presidente da Ford e diretor técnico da marca, explicou que a nova Ranger para os EUA será na prática a mesma versão que é vendida globalmente, mas com mudanças específicas para o mercado local, servindo posteriormente de base para o regresso do Bronco. Esta designação tem muita história na marca, uma vez que a primeira geração surgiu na década de 1960 e manteve-se no ativo ao longo de vários modelos até meados de 1990. Em 2004, com o Bronco Concept (nas fotos), chegou-se a ponderar o seu regresso, mas os anos de crise ditaram um ponto final nessa ideia.

“Este novo Bronco será baseado na plataforma do Ranger, pelo que será semelhante em termos de dimensões daquilo que é a Ranger. Agora, para os nossos clientes que nunca viram a Ranger global, é um pouco maior do que a Ranger que costumávamos ter aqui nos EUA, pelo que diria que é um intermédio entre aquilo que se viu com o realmente grande Bronco [o modelo de 1992-1996] e o mais pequeno [1966-1977]”, é citado Nair.

O mesmo responsável garantiu que esse novo Bronco será diferente do Everest, também da Ford, com o qual se chegou a supor que teria diversas semelhanças: “Será um modelo exclusivo”, referiu aquele que é um dos homens-fortes da Ford.

Quanto à sua comercialização a nível global, a mesma seria abordada consoante o mercado, sendo que, por exemplo, em Portugal e de acordo com uma fonte da marca, poderia não ter muito interesse devido às suas dimensões. A versão local da Ranger será lançada em 2019, esperando-se o Bronco nas estradas no ano seguinte.