Kia com ‘Rolling Stonic’ para conquistar a Europa

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Estilo não lhe falta e ambição também não. O mais recente membro do cada vez mais populado segmento SUV-B foi agora apresentado, mostrando as suas linhas e, mais importante do que isso, deixando bem visível o traço de ambição que leva a Kia a acreditar no Stonic como o modelo que vai liderar as vendas no mercado europeu assim que for lançado. Chega em outubro a Portugal e promete ser o modelo de destaque da Kia!

Pensado como um modelo de conquista de novos clientes, o novo Stonic destaca-se pelo seu visual apelativo com muita inspiração nalguns dos modelos recentes da marca, como o Niro, Picanto ou Rio. Apesar disso, o novo SUV compacto da companhia coreana tem um carácter próprio, assumidamente jovial e muito personalizável.

Volta a ter o agora tradicional ‘nariz de tigre’ e linhas muito horizontais, mas na mente dos responsáveis da Kia esteve também a inevitável personalização, cada vez mais uma ‘arma’ de apelo, sobretudo para os mais jovens que tanto gostam de se demarcar. Exemplo disso é o tejadilho de estilo ‘targa’ que permite escolher um acabamento exterior em dois tons de pintura. No cardápio de opções há até 20 combinações distintas de duas cores e cinco opções de cor específicas para o tejadilho.

Interior

Ao contrário do que seria de supor, o novo Stonic não tem a mesma plataforma do Hyundai Kauai (ou Kona, para os que preferem – ainda – o nome original daquele SUV), mas sim a mesma base do Rio, por exemplo. Isto porque o modelo da Hyundai tem uma plataforma dedicada que lhe permite ter tração 4×4, algo que no caso do Stonic não está previsto.

Mas com dimensões compactas no exterior, a marca apregoa para o Stonic uma noção espaçosa do interior, tanto ao nível da largura como da altura, passando ainda pela amplitude disponível para as pernas dos ocupantes dos bancos traseiros, ainda que a distância entre eixos seja de 2.580 mm, ou seja, a mesma do Rio. A mala surge com uma capacidade total de 352 litros, com uma plataforma de carga de dois níveis que permite ampliar ou reduzir a capacidade da mala.

Note-se que este conjunto de plataforma e de carroçaria do novo Stonic tem 51% de materiais fabricados em Aço Avançado de Alta Resistência, uma forma evoluída de incrementar a rigidez estrutural e, ao mesmo tempo, manter o peso sob controlo, uma necessidade dos tempos que correm.

Modernidade a bordo

No habitáculo existe um ‘feeling’ europeu, uma vez que o mesmo foi concebido no Velho Continente, com a tecnologia e a ergonomia a receberem grande destaque. A esse respeito, irá oferecer diversas tecnologias de relevo, tanto em termos de segurança e de assistência, como de infoentretenimento.

Quanto à segurança, o Stonic beneficia de elementos do conjunto DRiVE WISE da Kia, como as tecnologias de Travagem Automática de Emergência com reconhecimento de peões e Alerta de Colisão Dianteira, Deteção de veículos no Ângulo Morto, Alerta de Tráfego Traseiro e Alerta de Saída de Faixa de Rodagem, além de poder receber outros sistemas como o de Assistente de Máximos e Aviso de Atenção do Condutor.

Quanto à conectividade, conta com compatibilidade com sistemas operativos Apple CarPlay e Android Auto, graças ao ecrã tátil que serve de centro de comando ao mundo digital. Os bancos dianteiros aquecidos, a entrada sem chave e o cruise control adaptativo também constam da lista de equipamento deste modelo.

Gasolina e Diesel

O novo Stonic chegará aos mercados com uma gama de motores que já é bem conhecida, com a oferta a iniciar-se com o 1.2 MPI de 84 CV de potência, o mesmo motor que anima o Rio. Este estará disponível para encomenda em Portugal, mas não será a grande aposta da marca. Essa será o motor 1.0 T-GDI de 120 CV que tão bons resultados tem dado noutros modelos da marca coreana e que se assume como um motor de alto rendimento e de eficiência. Além desse, estará ainda disponível um 1.6 Diesel de 110 CV, que promete baixos consumos e prestações adequadas para o Stonic. Quanto a versões híbridas, o Kia não terá escolhas do género, pelo menos nesta primeira geração, até porque o Niro assume esse posicionamento.

A marca garante uma afinação do conjunto chassis ao gosto dos europeus, tanto a nível de suspensão, como de direção, focando mais o lado da condução para um “tração dianteira divertido de conduzir”. Para assistir neste ponto, o condutor conta com um sistema de Gestão de Estabilidade do Veículo (VSM) que integra funções de Vetorização de binário por travagem, estabilidade em linha reta e controlo de travagem em curva.

Os SUV na moda

A razão para mais um SUV no segmento B não tem mistérios. Até porque os números, como sempre, ajudam a explicar o cenário. Responsável por cerca de 1.1 milhões de vendas na Europa – correspondendo a 7% – e com tendência para aumentar até exceder os dois milhões em 2020, o segmento B-SUV está em ebulição, sendo por isso natural que o Stonic procure conquistar uma fatia do mercado. Ou seja, assiste-se neste momento à replicação da tendência que há escassos anos se verificou no segmento dos familiares compactos.

Neste cenário, o Stonic pretende ser o substituto ‘tudo-em-um’ para uma série de condições: não só como uma proposta apelativa para quem sai dos citadinos e dos MPV compactos, mas também para quem, descendo do segmento C, quer apostar num modelo divertido e visualmente apelativo.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.