Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 180 d: Ter um Mercedes

Trata-se aqui de conseguir comprar um carro novo, com motor diesel e da marca da estrela. O 180 d vale a pena? Vale! Perde-se agilidade mas ganha-se a mais elevada qualidade do segmento.

Ainda é caro comprar um Mercedes-Benz. E pagar 35 mil por um motor Diesel de apenas 109 CV ainda parece mais estranho. No caso desta CLA Shooting Brake 180 d até há concorrência interna: um Classe A com este motor custa menos 5.950 euros.

Mas a CLA tem uma bagageira de 495 litros, mais 155 litros que o Classe A e proporciona dose dupla de elegância. Aquele tejadilho descendente que lhe dá a alma coupé também rouba espaço para a cabeça de quem se sentar atrás e visibilidade traseira ao condutor, é certo, mas… parece haver sempre este “mas”: olhá-la por fora transforma qualquer defeito num pequeno detalhe. Será assim também com o magro motor diesel desta versão?

Os 109 CV e 260 Nm de binário (entre as 1.750 e as 2.500 rpm) extraídos do 1.5 diesel de origem Renault têm aqui de lidar com 1.465 quilos de Mercedes, mais 400 quilos que num Clio dCi. A isto se junta uma caixa manual de seis velocidades de manuseamento à Mercedes (macio e preciso) mas de grande desmultiplicação para baixar consumos. O resultado é uma demora de 11,9 segundos de zero a 100 km/h e recuperações apenas aceitáveis.

Esqueça a faixa da esquerda em subidas longas porque nem as reduções resolvem. Sexta para quinta, para quarta e… aumenta o ruído do motor e o consumo. É melhor chegar à direita, acariciar o macio volante em couro perfurado e passar os olhos por este belo tablier, de irrepreensível qualidade de construção e materiais.

Há, por outro lado, a perceção constante de que o chassis conjuga eficácia com conforto como nenhum outro neste segmento, que a posição de condução é perfeita, que houve rigor na calibração do peso de cada comando, de cada botão. E para quem gosta de botões, o sistema Dynamic Select, de série no A 180 d, está aqui disponível por apenas mais 100 euros. Valeria a pena pelo ganho de agilidade do programa Sport, com alguns custos nos consumos, mas a direção, suspensão e acelerador dispensam, mesmo assim, esta pequena despesa porque estão bem calibrados.

Bons consumos

Pelo que verificámos no fiável e completo computador de bordo, a CLA 180 d faz uma média de 5,7 litros aos cem em circuito misto, com muita cidade à mistura. Em estrada aberta, se houver paciência para fazer a viagem a 90 km/h (com o ponteiro nas 1200 rpm em sexta), ficará surpreendido com médias de 3,5 L/100 km. E, se não houver pressa na autoestrada, os 120 km/h equivalerão a 4,2 litros aos cem. Circulando assim, correrá poucos riscos porque tanto o sistema de alerta de sonolência Attention Assist como o Collision Prevention Assist Plus, que avisa e trava de forma autónoma em caso de risco de colisão, são de série.

A CLA Shooting Brake não é uma carrinha grande mas é uma pequena Mercedes. Tem um grau de identidade própria e um nível de qualidade que tornam difícil eleger-lhe concorrentes diretos. Pode andar pouco e custar bastante a comprar, mas (o decisivo “mas”…) depois de andar com ela, percebe-se porque a marca da estrela é hoje a quarta mais vendida em Portugal. À frente da Opel, da Ford, da Fiat, da Toyota…

Veredito

A Mercedes desceu aos segmentos mais baixos sem baixar a guarda na qualidade. Sentimo-nos ao volante de um verdadeiro Mercedes nesta versão magrinha e económica do motor diesel de 1.5 litros e origem Renault

Texto António Amorim

Fotografia José Bispo

Turbo