Renault Kadjar: SUV à portuguesa

Silva Pires
Silva Pires
Jornalista

Custou mas foi. Ao cabo de 18 meses, o Renault Kadjar chegou a Portugal. O SUV da Renault, aparentado com o Nissan Qashqai, tem argumentos interessantes. Espaço, economia e honestidade são os valores marcantes num primeiro contacto. Um motor (1.5 dCi de 110 cv), duas versões, preços desde 29.710€. Compromisso interessante, “à medida” da originalidade nacional.

Foi quase uma teimosia trazer o Kadjar para Portugal. Porque a Renault seguiu o caminho mais correto – e mais caro… Vítima da lei aberrante que legisla a Classe 1 nas portagens nacionais, o SUV francês era um Classe 2 e estava condenado, naturalmente, a passar ao lado de uma carreira como aquela que ambiciona para qualquer produto uma marca que tem três dos cinco modelos mais vendidos modelos (Clio – 1.º; Mégane, 3.º; Captur – 5.º).

Vai daí, recusando correr riscos de penalizar o produto, tratou de responder à Lei com a tecnologia capaz de a fazer respeitar. Para isso, a Renault Tech (Departamento da Renault Sport) recorreu ao eixo traseiro multibraços e à estrutura reforçada da versão 4×4 e fez um Kadjar “à portuguesa”, jogando com o peso bruto. E com mais de 2.300 kg aí temos um Classe 1, desde que associado à Via Verde.

Sobre a plataforma do Qashqai, com o qual partilha muito mais, vestida num estilo inspirado no Captur, maiores dimensões (mais 7,2 cm do que o “primo” japonês e palmo e meio mais comprido do que o modelo de gama abaixo), o Kadjar tem uma imagem familiar e faz-se notar pela altura ao solo (20 cm), que parece ainda maior dada a utilização de jantes de 17 polegadas.

O interior não surpreende, simples, minimalista, ainda que menos modernaço do que Mégane e Talisman, dado o pequeno ecrã integrado no centro do tablier. Um painel 100 por cento digital com várias soluções de personalização é a “ousadia” maior num conjunto de qualidade aceitável, mesmo não dispensando dose considerável de plástico.

A habitabilidade, o espaço, mala e porta luvas (7,5 litros) incluídos, a versatilidade (rebatimento fácil dos bancos) e o tradicional conforto são as notas dominantes quando entramos no Kadjar para viver uma característica posição elevada em relação à estrada.

O conhecido e comprovado motor 1.5 dCi, na versão de 110 CV (260 Nm de binário), com caixa manual de seis velocidades, continua a cumprir, mesmo sem deslumbrar. Permite que o Kadjar tenha o desembaraço de quem aceita as limitações de um familiar sem outras pretensões e considera que mais importante será o consumo, aspeto em que os resultados continuam a ser de bom nível – e o botão ECO ajuda. De todo o modo, atenção, um carro fácil de conduzir.

O nosso contacto com o Kadjar foi através da versão XMOD, entrada de gama, mas também, aquela de cariz mais “aventureira”. Integra o sistema Extended Grip (comando rotativo na consola), o qual alia ao modo de condução normal duas opções para fora de estrada que funcionam até aos 40 km/h e permitem enfrentar com outro à-vontade situações mais difíceis, para o que também conta com pneus mistos. Não é um todo o terreno, mas dada a altura ao solo e os ângulos de ataque (18º) e de saída (28º) admite algumas brincadeiras.

Na estrada, comporta-se a preceito. A suspensão “portuguesa” dá uma ajuda, combatendo a tendência para o rolamento da carroçaria, própria destes veículos, e contribuindo para um nível de conforto superior dentro dos reconhecidos padrões de qualidade da marca. O casamento entre estes dois aspetos resulta numa combinação que dispensa críticas em termos de eficácia.

Em suma, uma proposta honesta, razoavelmente recheada, num segmento em que escolher começa a ser uma dor de cabeça quando se pede análise ao pormenor.

Equipamento

Barras de tejadilho longitudinais; estofos em tecido; jantes em liga leve de 17’’; cartão Renault mãos-livres; Grip Control; modo Eco; quadro de instrumentos TFT a coresde 7’’ e LED; ar condicionado automático bi-zona; bagageira compartimentável; banco traseiro rebatível (60×40); volante multifunções em couro regulável em altura e em profundidade; rádio, Bluetooth, reconhecimento de voz, entradas USB e jack; Renault R-LINK 2 com ecrã de 7’’ e cartografia europeia; tomadas de 12 volts, à frente e na consola central da 2ª fila ABS+ AFU; alerta de excesso de velocidade com reconhecimento dos sinais de trânsito; alerta de transposição involuntária de faixa; Comutação automática das luzes de estrada/cruzamento; faróis de nevoeiro; Kit de enchimento e reparação de pneus; luzes diurnas LED; regulador e limitador de velocidade; retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente, com desembaciamento; sensores de chuva e de luminosidade; ajuda ao arranque em subida; controlo da pressão dos pneus; travão de estacionamento assistido. Opções – Tejadilho panorâmico; pneu sobressalente de pequenas dimensões; ajuda ao estacionamento traseiro e dianteiro; câmara traseira

CaracterísticasRenault Kadjar 1.5 dCi 110 CV
Motor1.461 cc, turbodiesel, injeção direta
Potência110 CV/4.000 rpm
Binário260 Nm/1.750 rpm
TransmissãoDianteira, caixa manual de seis velocidades
0-100 km/h11,9s
Velocidade máxima185 km/h
Consumo3,9 l/100 km
Emissões CO2103 g/km
Mala527/1650 litros
PreçoPreço: 29.710€ (XMOD)
(Versão Exclusive desde 31.600€)