SEAT Arona junta-se ‘à festa’ dos SUV compactos

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

O tempo quente de verão parece ser o mais adequado para dar as boas-vindas ao mais recente modelo da SEAT, o Arona, SUV que foi hoje revelado em Barcelona, cumprindo-se assim a tradição da marca de oferecer um nome espanhol a um dos seus modelos.

O Arona surge para se juntar à guerra dos SUV de segmento B, onde irá competir com modelos como o Nissan Juke, Renault Captur, Peugeot 2008, Kia Stonic, Hyundai Kauai ou Mazda CX-3, apenas para mencionar alguns dos mais respeitosos adversários que terá pela frente no momento do seu lançamento.

Para já, no evento de apresentação, ficaram a conhecer-se o exterior e o interior daquela que é uma das grandes promessas da SEAT e uma das suas apostas para os próximos anos. Posicionado sob o Ateca, SUV de segmento médio, o Arona inspira-se nos mais recentes modelos da marca, como o Ibiza, não deixando de se identificar como um SEAT ao primeiro olhar.

Faróis estilizados com assinatura luminosa em LED, duas grelhas bem delimitadas na dianteira e proteções inferiores da carroçaria a toda a volta cumprem o seu objetivo de fazer deste modelo um pequeno aventureiro, mesmo que o grande foco das suas ações vá estar, quase garantidamente, no asfalto. Atrás, farolins com tecnologia LED e spoiler superior, a que se junta o pilar C com um ‘separador’ entre a cor da carroçaria e a do tejadilho.

O interior segue a mesma filosofia do Ibiza: simplicidade e funcionalidade em primeiro lugar, num ambiente que promete materiais de qualidade e algumas tecnologias de relevo, como o sistema de infoentretenimento de última geração (com ecrã de 8”), carregador sem fios de smartphones e câmara traseira. A este respeito – sistemas de assistência – o Arona conta com Front Assist, Travagem multi-colisão, Assistente de Estacionamento, cruise control adaptativo e Detetor de Veículos no Ângulo Morto.

Distingue-se, no entanto, do Ibiza na grande maioria das dimensões, ainda que tenham a mesma base, a MQB A0 do Grupo Volkswagen. Assim, o Arona é 79 mm mais comprido do que o Ibiza de nova geração, medindo um total de 4.138 mm. Além disso, este novo SUV é também 99 mm mais alto, o que lhe permite uma maior ‘veia’ de aventureiro. O ganho nas dimensões reflete-se ainda no interior, com a SEAT a argumentar uma melhoria na habitabilidade, com mais 37 mm de espaço para a cabeça à frente e de 33 mm atrás. A suspensão é elevada em 15 mm face ao Ibiza, enquanto a mala tem uma capacidade de 400 litros. Os bancos também estão posicionados mais altos para melhorar a visibilidade.

Quanto aos motores, escolhas pautadas pela eficiência. A SEAT recorre aos blocos a gasolina TSI de 1.0 litro com 95 CV e de 115 CV, embora exista ainda uma outra opção a gasolina na forma do novo 1.5 TSI de 150 CV para o Arona FR, o mais desportivo. Pelo lado dos Diesel, a oferta tem como ponto de partida o 1.6 TDI de 95 CV, passando ainda pela versão de 115 CV.

O Arona será apresentado publicamente no Salão de Frankfurt, na Alemanha, no mês de setembro, mas é apenas um dos seis carros novos que a SEAT irá lançar até 2020. Um plano arrojado que abarca, de acordo com Matthias Rabe, diretor de produto da companhia espanhola, “três carros que serão substitutos diretos [de modelos atuais] e três totalmente novos. Temos planos até 2025, um plano de produto e um ciclo de lançamentos para se adequarem ao mercado”.

Um dos modelos será um SUV de grandes dimensões com base no Skoda Kodiaq, o qual deverá chegar no final do próximo ano. Para denominar esse terceiro SUV, a marca abriu um concurso em que recebeu 133.332 sugestões de nomes, fornecidas por pessoas localizadas em 106 países do mundo. A primeira etapa do concurso, já terminada, contou com 10.130 nomes únicos, o que quer dizer que muitos deles se repetiram. A próxima etapa será a escolha de 80 dessas designações para as sujeitar a votação posteriormente em outubro.

Este será o primeiro desses novos lançamentos, mas haverá ainda espaço para um elétrico a lançar apenas depois de 2020 – uma vez lançada a plataforma elétrica MEB do Grupo Volkswagen – com autonomia esperada em redor dos 500 quilómetros.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.