Na sua primeira missão, o Solar Stratos levará duas horas a subir a uma altitude de 80 mil pés, 15 minutos para voar entre as estrelas e três horas para descer de novo ao planeta Terra. Este é o ambicioso plano de voo do avião solar que pretende conquistar o espaço em 2018.

Com apenas 8,5 metros de comprimento e 450 kg de peso o Solar Stratos tem dois lugares e é propulsionado por um motor elétrico de 32-kW e uma bateria de lítio de 20kWh, alimentada pela células solares que revestem as asas deste super-planador espacial.

O avião construído pela PC-Aero tem uma autonomia de voo de 24 horas, podendo atingir uma altitude de 80 mil pés. Será assim, segundo a empresa, o primeiro avião movido a energia solar a atingir a estratosfera. Durante a viagem, tanto o avião, como o piloto, serão submetidos a temperaturas e pressões extremas e a cabine não estará pressurizada, para evitar o peso extra.

No espaço com energia do sol

Aos comandos do Solar Stratos estará Raphael Domjan, entusiasta que completou em 2012 a primeira volta ao mundo num barco movido a energia solar. Desta vez, Domjan terá de estar equipado com um fato de astronauta pressurizado e capaz de resistir a temperaturas que podem atingir os 70 graus negativos. O fato estará ligado ao próprio avião, que lhe fornecerá a energia vital, mas que impede o piloto de se ejetar ou levar pára-quedas.

A missão agendada para 2018 permitirá a Domjan atingir uma altitude a partir da qual é possível ver a curvatura da terra, inaugurando assim aquele que pode ser o primeiro voo comercial solar a atingir a estratosfera. “Pretendemos demonstrar o potencial das energias renováveis para explorar a possibilidade de fazer pessoas voar a altitudes extremas usando tecnologia solar.” Explicou Domjan na conferência de imprensa de apresentação do projeto que pretende inaugurar uma nova era – a da energia solar na aviação civil.