Boeing aposta em aviões híbridos

Especialistas em aeronáutica dizem que é quase impossível construir um avião elétrico a curto prazo. Mas isso não chega para desencorajar as pessoas mais inovadoras da indústria, que querem trazer este futuro para o presente o mais depressa possível. É o caso da Zunum Aero, uma start-up baseada no noroeste dos Estados Unidos, que quer criar o avião híbrido.

Com 97 por cento do tráfego aéreo nos Estados Unidos servido por apenas 140 dos 13.500 aeroportos do país, a Zunum Aero acredita que há um mercado a explorar no transporte aéreo regional. Para isso, as aeronaves deverão tornar-se simultaneamente mais ecológica e mais baratas. A ideia é que este tipo de aviões poderá servir para transporte de carga e de pessoas a uma escala regional, em zonas longe das grandes metrópoles.

Na indústria aeronáutica, há quem esteja atento a estas tendências, com a Boeing e a JetBlue a investirem na nova empresa. Se a proposta de um propulsor híbrido da Zunum Aero tiver aplicação prática, a Boeing vai querer instalar estes motores nas suas aeronaves mais pequenas, e a JetBlue, uma das principais empresas de voos low cost da América do Norte, tem interesse em explorar os mercados regionais.