O Air Force 1, o avião que transporta o presidente dos Estados Unidos, está a aproximar-se rapidamente do seu tempo de vida útil, mas Donald Trump recusou pagar o custo esperado de desenvolvimento da nova aeronave, e quer um avião mais barato que os 4,2 mil milhões de dólares (3575 milhões de euros) que o novo avião iria custar.

Atualmente, a Força Aérea Americana tem dois Boeing VC-25, derivados do 747-200, o primeiro dos quais foi entregue em 1990. Os dois aviões necessitaram de atualizações importantes em 2002, especialmente no campo das comunicações. Mas o tempo útil de vida de 30 anos está a aproximar-se, e este atraso poderá obrigar a Força Aérea a usar os VC-25 além de 2020. Trump ficou pouco impressionado com o preço, alegando ter pago muito menos pelo seu 757 privado, mas este avião já foi comprado usado e não tinha os sistemas especiais necessários na aeronave que transporta o presidente.

Até agora, apenas 172 milhões do orçamento tinham sido aprovados. A Força Aérea já encontrou uma alternativa, que passará pela conversão de dois Boeing 747-8 que tinham sido encomendados pela empresa russa Transaero, entretanto falida. As modificações serão levadas a cabo pela Força Aérea.

Os helicópteros de transporte presidencial dos Marines também necessitam de ser substituídos, pois os modelos mais antigos, 11 exemplares do Sea King, estão em operação desde 1974. O programa de substituição iniciado em 2002 foi cancelado em 2008 quando os custos se aproximaram do dobro do esperado. A Sikorsky, escolhida em 2014, vai apresentar um protótipo em 2023.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.