Lançado em 1995 para suceder ao mítico F40, o Ferrari F50 acabou por nunca ter o mesmo estatuto de lenda que o seu antecessor, último dos modelos desenvolvidos ainda sob a liderança de Enzo Ferrari. Contudo, atualmente, o F50 começa já a merecer o devido reconhecimento enquanto um dos superdesportivos mais importantes da década de 1990 e o exemplar que se apresta a ir a leilão pela RM Sotheby’s é disso um bom exemplo.

Trata-se de um dos meros quatro exemplares do F50 vendidos com a cor preta e um de dois vendidos no Estados Unidos da América (EUA), tendo o número de chassis ZFFTG46A6S0104092. Com uma produção limitada de 349 exemplares, 302 foram pintados em vermelho Rosso Corsa, oito em vermelho Rosso Barchetta (uma tonalidade mais escura de encarnado), 31 em amarelo Giallo Modena, quatro em cinzento Argento Nürburgring e quatro em preto Nero Daytona. Em termos detalhados, foi o 62º modelo produzido dos 349 previstos e apenas um dos 55 destinados aos EUA.

O modelo aqui exposto tem uma série de outras particularidades que permitem à casa de leilões almejar a um valor entre os 3 milhões e os 3.5 milhões de dólares. Facto apontado pela RM Sotheby’s é o de contar ainda com o conjunto de teto rígido (hard-top), o tejadilho em lona e as bagagens de três peças ainda por estrear, o que aliado às meras 2.090 milhas (pouco menos de 3.500 quilómetros) no odómetro revelam que este F50 pouco rodou desde que chegou ao continente americano.

Um dos elementos mais distintivos do F50 é o seu motor V12 de 4.7 litros com 520 CV de potência, derivado do F1 de 1990 – F1 641- pilotado por Alain Prost e Nigel Mansell. O leilão terá lugar no dia 20 de janeiro de 2017.

a carregar vídeo