Daimler investe 30 milhões em carros voadores

Depois de anunciar o seu contínuo investimento no hidrogénio e numa rede de abastecimento alargada, a Daimler prova agora que quer uma fatia do mercado dos carros voadores ao investir, de acordo com a Agência Reuters, 30 milhões de euros na Volocoptor.

O objetivo da start-up alemã é o de vir a desenvolver um táxi-voador elétrico que pode vir a revolucionar a forma como encaramos os transportes, e apesar de a massificação estar longe de vir a tornar-se realidade, tanto a Daimler como outras empresas parceiras acharam que este era o momento de reforçar financeiramente a empresa, de modo a que o sonho não fique guardado numa gaveta.

Apesar de ainda não ter produção em massa, a Volocoptor tem apresentado novidades no mercado, incluindo o E-Volo 2X 18-rotor VTOL que vê nas imagens — um “multicoptor” com 18 rotores e corpo em fibra de carbono, que descola e aterra verticalmente e foi anunciado com pompa e circunstância no início deste ano.

Leia também: Bosch e Daimler desenvolvem táxis autónomos

Capaz de viajar cerca de 30 km a uma velocidade máxima que ronda os 70 km/h (44 km à velocidade ideal de 50 km/h), o E-Volo 2X promete um raio de ação de 27 minutos e pilotagem automática, mas a bordo continua a existir um joystick tradicional e controlos manuais.

A empresa espera agora que o seu “multicoptor” possa ser bem recebida dentro da indústria do transporte de passageiros, dada a capacidade de transportar quatro passageiros. As vantagens são evidentes: voar por cima de um engarrafamento é certamente mais atrativo do que esperar longas horas ‘preso’ nele. Mas continua a haver muitas arestas por limar, nomeadamente ao nível da legislação e segurança, até porque estes veículos teriam de ser monitorizados como se de um avião ‘à séria’ se tratassem. Sonhar (ainda) não custa…