Simplicidade e eficiência: eis os dois traços que levaram o designer português Francisco Calado a conceber aquela que é a sua visão de um camião vanguardista da Mercedes-Benz, o E-truck.

Este projeto de transporte eficiente resulta da ideia deste antigo aluno do IADE para conceber um veículo de linhas intemporais e, ao mesmo tempo, assentes numa aparente simplicidade de formas, como o próprio explicou ao Motor24.

“Sempre acreditei que formas básicas simples bem desenvolvidas podem dar origem a peças de design intemporais. Tentei transmitir este pensamento no E-truck e criei um veiculo com um volume ultra simples e inovador constituído apenas por três cilindros, um vertical (cabine) e dois horizontais (motores e baterias)”, refere, explicando os seus ideais que estiveram na origem do E-truck. “O resultado é um concept de formas muito simples, fluidas e arredondadas recheado de detalhes ‘fora da caixa’”, complementou, deixando assim bem evidente a sua noção de um camião com visual inovador assente numa motorização sustentável.

A este respeito, o E-truck teria propulsão unicamente elétrica, sendo a sua energia proveniente de dez baterias cilíndricas, sendo que a sua velocidade de ponta seria elevada mercê de formas aerodinâmicas apuradas para um mínimo de arrasto e capacidade de suportar ventos laterais devido ao seu formato circular. Numa visão tão futurista, o acesso à cabine faz-se pela dianteira, enquanto no interior o motorista teria à disposição um grande número de comodidades, como casa de banho e uma divisão para descanso, algo que é essencial em viagens longas.

Longa experiência

O percurso de Francisco Calado na área automóvel é já longo e reflete uma paixão duradoura pelos motores, conseguindo aliá-la a uma outra vertente, a do desenho.

“Desde que me conheço que sempre fui um apaixonado por automóveis e por tudo o que envolvia jantes e motores. Sempre gostei muito de desenhar e desde sempre tentei conciliar estas minhas duas paixões”, adianta, revelando que depois de terminar o curso de Design no IADE em 2012 conseguiu seguir o seu “sonho” e inscrever-se num master em design automóvel com a colaboração de um nome icónico – a Lamborghini – num dos mais reputados centros de aprendizagem de design do mundo, a Scuola Politécnica di Design em Milão.

“Foi uma experiência extraordinária, na qual aprendi com os melhores do ramo e tive a oportunidade de desenvolver três projetos. O primeiro foi o Lamborghini Igreca, um superdesportivo com base no Aventador, desenvolvido para o quinquagésimo aniversário da marca. Posteriormente, desenvolvi o Bentley Highflyer, um compacto de 4 metros de comprimento em colaboração com o meu colega Denis Zhuravlev e a Italdesign. Durante o mesmo ano tive ainda a oportunidade de desenvolver o Audi Capsule, um micro-carro elétrico para 2025 feito em colaboração com a Audi a apresentado em Ingolstadt no Audi Design Universe em 2013”, revela este designer que, desde o final do mestrado, em 2013, ano em que regressou a Portugal, tem dedicado a sua atenção a este concept do Mercedes-Benz E-truck.

Em janeiro de 2015, integrou a META, onde trabalhou durante três meses e esteve ligado ao desenvolvimento de mobílias de loja para a DIELMAR. A sua carreira regressou para a indústria automóvel, novamente, tendo sido convidado para se juntar ao CEiiA, no qual desempenhou funções durante um ano e três meses. Um dos seus projetos foi o de “desenvolvimento do BE 2.0, um veiculo elétrico de quatro lugares para carsharing feito de raiz e seguindo as linhas do seu antecessor”.

Neste momento, o autor do E-truck trabalha como freelancer, estando a desenvolver a Petrolheart, “uma marca de roupa para apaixonados por motores, tal como eu. Não me pretendo ficar por aqui e espero em breve concretizar o meu sonho de carreira que é entrar no mundo automóvel. Mercedes-Benz seria o grande sonho”.

Caso queira conhecer mais do trabalho de Francisco Calado, o seu perfil na rede Behance dedicada a projetistas e designers permite mergulhar no seu percurso e revisitar alguns dos seus outros modelos.

Além de Francisco Calado, outros portugueses vão demonstrando o seu talento nas áreas do design, como é o caso de Daniel Bacelar Pereira, que participou num desafio para imaginar os carros de corrida de Le Mans de 2030.