É cada vez mais difícil bater o recorde de velocidade em terra. O atual recorde, de 1227 km/h, foi estabelecido em 1997 pelo Thrust SSC e ainda ninguém conseguiu batê-lo. Mas já há um novo projeto a caminho. Chama-se Bloodhound e tem como objetivo atingir os 1600 km/h. Os primeiros testes vão ter lugar nos próximos meses, no sul da Inglaterra, e em outubro o Bloodhound vai tentar estabelecer um novo recorde de velocidade.

Para tentar quebrar esta barreira, nada melhor do que duas pessoas que já o conseguiram fazer. O projeto do Bloodhound é liderado por Richard Noble, que estabeleceu o recorde mundial de velocidade em 1983 com o Thrust2. Hoje com 71 anos, Noble já era o líder do projeto Thrust SSC, que bateu o seu recorde anterior em 1997. No entanto, nessa altura era Andy Green, comandante da Força Aérea, quem estava aos comandos. E é Green, hoje com 54 anos, que vai tentar bater o seu príprio recorde.

O Bloodhound SSC foi desenhado na Faculdade de Engenharia da Universidade de Swansea, no País de Gales. Desenhado inteiramente em computador, foi possível antecipar o comportamento aerodinâmico da carroçaria antes da sua construção. Os motores vêm de vários fornecedores. O motor inicial é um jato Eurojet EJ200 construído especificamente para a tentativa de recorde. Assim que atingir os 480 km/h, passa a funcionar um foguete de combustível híbrido da Nammo. As jantes são especiais, criadas para aguentar uma força de 50.000 G.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.