Uma das empresas especializadas em conversões de modelos tradicionais para elétricos, a Zelectric, apresentou no passado Salão de Los Angeles a sua interpretação de um icónico Porsche 911 Targa totalmente elétrico. 

Afastado do seu ‘coração’ tradicional, este 911 Targa de 1973 recorre a um motor elétrico que, embora não tenha o som emotivo do original, apregoa prestações melhoradas e eficiência aprimorada.

Este foi também o objetivo do proprietário do modelo de Estugarda, que quis apostar numa tecnologia completamente distinta para propulsionar o seu 911 Targa, originalmente munido com motor boxer de seis cilindros. Assim, entregou este exemplar à Zelectric, uma companhia especializada neste género de conversões, sobretudo no que diz respeito a modelos Beetle da Volkswagen.

Os conjuntos de aplicação da Zelectric têm um custo de base geralmente em redor dos 49 mil dólares, incluindo toda a gestão do projeto, desenho, componentes elétricos e baterias, entre outros elementos. No caso deste 911, um dos itens mais chamativos é a bateria de 54 kWh proveniente de um Tesla Model S acidentado.

Contudo, o pack de baterias foi dividido para a dianteira e para a traseira de forma a garantir uma melhor distribuição de pesos, sendo que atrás surge ainda uma dupla de motores AC-34, suficiente para produzir 150 CV de potência, para mais de 400 quilómetros de autonomia.