Ao longo dos anos, a indústria automóvel tem feito as suas apostas na inovação e quando corre bem é garantia de destaque face à competição. Se muitas vezes chegam ao mercado carros com características fascinantes para o consumidor, outras tantas ficaram pelo caminho alguns conceitos mal conseguidos. Veja aqui alguns exemplares que representam falhanços redondos da história do automóvel.

Bricklin SV1

O Bricklin SV1, criação do fundador da Subaru America, Malcolm Briklin, foi produzido entre 1974 e 1976. Incorporava características nunca vistas e pretendia estabelecer novos pressupostos de segurança nos carros desportivos. Apresentava um corpo mais resistente, portas gaivota e um para-choques mais robusto. Foi precisamente isto que comprometeu, devido ao peso excessivo da viatura, tanto a eficiência como a performance que se exige num desportivo. A acrescentar ainda que, por muito cool que fosse chegar e abrir as portas futuristas do SV1 carregando num botão, se a bateria falhasse, ficar lá dentro fechado e ter de partir o vidro para sair não seria assim muito agradável.

Amphicar

Como o nome indica, o Amphicar era um carro e um barco, dois em um. Infelizmente, como se constatou rapidamente, o veículo anfíbio não era bom a ser nenhuma das duas coisas. A ideia era vencer o trânsito com um automóvel que pudesse cortar caminho atravessando cursos de água mas a obrigatoriedade de uma manutenção constante e a dificuldade de o manobrar fez com que tivesse sido produzido por tempo limitado. Foram vendidos cerca de 4 mil nos anos 60.

Ford Nucleon

Se tivesse passado da fase de protótipo, o Ford Nucleon seria um acidente nuclear à espera de acontecer. O reactor de fissão usado na viatura concedia uma autonomia de cerca de 8 mil quilómetros com um único abastecimento. Quando o design foi proposto, em 1950, talvez fizesse sentido a evolução para energia nuclear, mas nos dias que correm é quase escandaloso imaginar, mesmo tendo em conta as emissões zero do carro.

Rinspeed X-Dream

Fundada em 1979, a Rinspeed é conhecida pelas suas propostas tantas vezes extravagantes, futuristas, até um bocadinho lunáticas. Especializados em modificação e personalização de automóveis Porsche e Subaru, são também mestres em criar protótipos tão arrojados que nem chegam sequer a passar para a fase de produção. Uma das suas criações mais bizarras é o Rinspeed X-Dream, um cruzamento entre uma pick-up de caixa aberta e um hovercraft. Era chegar à praia, atravessar o areal e entrar no mar a bordo do nada discreto veículo amarelo.

Fuller Dymaxion

O Fuller Dymaxion era parte do protótipo do Omni-Medium Transport, um veículo que nunca chegou a ser feito. Construído nos anos 30, adoptava estranhamente a forma de uma melancia com três rodas. Na verdade nunca foi concebido para se chegar a ser produzido mas sim para inspirar veículos do futuro. Duas rodas dianteiras e uma na parte de trás tornavam o manuseamento complicado e até perigoso.

AVE Mizar

O Ave Mizar era um carro voador. Cruzando um Ford Pinto modificado com um Cessna Skymaster, permitia chegar no carro ao aeródromo, encaixar as asas e um motor e levantar voo. As quatro rodas do automóvel permitiam uma travagem rápida pelo que era necessária uma pista com apenas cerca de 170 metros para uma aterragem eficaz. Mas o acessório do Skymaster, composto pelas asas e motor, não conseguia suportar o peso do Ford Pinto, muito menos contando com os passageiros e combustível. O carro-avião acabou por despenhar-se com o seu criador lá dentro. Morreu o inventor e com ele o projecto.