A saga mais famosa do mundo está de volta, agora com um filme paralelo que vem completar um dos puzzles mais famosos da trilogia original de Star Wars.

Rogue One: A Star Wars Story chegou às salas de cinema portuguesas e, além de revelar como é que os Rebeldes obtiveram os planos da Estrela da Morte para procederem à sua destruição, o filme traz também veículos que mostram como, numa Galáxia muito, muito distante, também é muito importante ter os melhores e mais adequados meios de transporte.

Eis alguns dos mais emblemáticos da saga.

Speeders

Uma grande parte dos veículos em Star Wars ingressa na categoria Speeder. São transportes geralmente individuais, feitos para longas viagens junto ao solo, mesmo que consigam planar. Alguns dos exemplos mais famosos dos Speeders são os de Luke Skywalker na trilogia original e de Rey no filme mais recente.

Pod Racers

Se na Terra o desporto motorizado de excelência é a Fórmula 1, em Tatooine, planeta dos dois sóis, essa distinção cabe aos Pod Racers. Um dos mais emblemáticos exemplos surge logo no primeiro dos seis filmes da saga – o Episódio 1 -, no qual o pequeno Anakin Skywalker constrói e entra em competição com uma destas máquinas. A popularidade destes veículos, que se assemelham em conceito a uma carroça puxada por motores, foi tanta que deu origem a um jogo de vídeo. Curiosamente, o veículo do protagonista tinha uma sonoridade de Fórmula 1…

X-wing

A nave dos Rebeldes e da Resistência mantém-se praticamente inalterada ao longo da série, recebendo essencialmente uma série de melhorias graduais que visam torná-la mais eficaz e atual. As iniciais T65B evoluíram para as mais sofisticadas T85, mantendo igualmente as características asas separáveis que formam um ‘X’ quando entram em combate.

TIE Fighter

A nave de combate do Império, com um visual ágil e aerodinâmico. Dois painéis laterais verticais de enormes dimensões promovem a mobilidade desta nave, com o piloto a situar-se no meio. A aparente fragilidade desta nave é compensada com a agilidade em manobras evasivas e com o seu poder de fogo elevado. Além disso, a mais recente versão – estreada no sétimo filme, The Force Awakens – oferece já um escudo defletor na cabine do piloto. Outra variante deste modelo inclui o TIE Striker, uma versão mais aerodinâmica concebida, essencialmente, para patrulha junto a bases imperiais.

AT-AT

Quiçá a escolha mais intrigante. Os AT-AT (All Terrain Armored Transport) são gigantescas infraestruturas com o corpo 20 metros acima do solo e quatro patas, semelhantes a um elefante, até pela sua aparente lentidão. Contudo, transportam tropas e têm um poder de fogo considerável, mesmo que a maneabilidade e a agilidade sejam diminutas. Mas o seu aspeto é eficaz, sobretudo na mente dos inimigos, e a versatilidade de utilização é ponto igualmente forte, ou não fosse a sua designação All Terrain (como a Mercedes-Benz Classe E All-Terrain). Existem derivativos com o mesmo princípio, como os AT-DP e o AT-AP.

Finalizer

Esta Finalizer, vista no último filme da saga principal, não é mais do que uma evolução das já de si portentosas Star Destroyers. Contudo, esta nave é ainda maior, servindo de base de comando de Kylo Ren e do General Hux, duas das figuras de topo da Primeira Ordem. Construída em violação do Tratado de Paz com a Nova República, acaba por ser uma das naves mais equipadas em termos de armamento, possuindo ainda capacidade para dezenas de Stormtroopers a bordo.

Millennium Falcon

A inevitável nave de Han Solo e de Chewbacca é presença obrigatória de uma lista de veículos do universo de Star Wars. Descrita como peça de sucata por algumas vezes, a Millennium Falcon acaba por ser determinante em vários momentos da trama, permitindo aos heróis a fuga de situações mais complicadas perante as forças do Império. Um dos seus traços característicos é a participação na corrida de Kessel, a qual cumpriu em menos de 12 parsecs… Quanto ao nome, rápida como um falcão, feita para durar milénios!