Já imaginou o que acontece quando uma organização com o nome TAP tem que criar uma arma de guerra? Acontece isto: uma Vespa com uma bazuca a disparar pela frente. da moto. Ideia interessante, TAP. Não, não é a nossa TAP. Esta Vespa foi criada pelas Troupes Aéro Portées (paraquedistas) das Forças Armadas Francesas, durante a guerra da independência da Argélia.

A receita é simples: Pega-se numa Vespa 150 normalíssima, reforça-se a estrutura, corta-se um buraco na parte dianteira e instala-se um canhão sem recuo M20 de 75 milímetros. Depois, pega-se noutra Vespa 150, reforça-se a estrutura e, em vez de um canhão, servia para guardar munição. As Vespas eram lançadas aos pares de para-quedas, e trabalhavam em conjunto, uma disparando e outra fornecendo armamento.

O chato é que nenhuma se movia. As Vespas foram escolhidas porque podiam ser transportadas por ar, mas depois serviam apenas como bases estáveis, em vez de um tripé, para poderem ser disparadas. A ACMA (Ateliers de Construction de Motocycles et Automobiles) construiu 150 motos destas para os regimentos paraquedistas francesas entre 1956 e 1959.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.