Ensaio Yamaha WR 250F Enduro GP e WR 450F Enduro GP de 2018

Em Agosto passado foram apresentadas à imprensa duas novas motos Yamaha WR de Enduro, versões especiais das conhecidas WR 250F e WR 450F, as quais foram designadas de “Enduro GP”.

Estas versões especiais de Enduro e de série limitada, foram especialmente produzidas inspiradas nas motos oficiais da Equipa Outsiders Yamaha Official Enduro Team que conseguiram que o piloto Loic Larrieu obtivesse o 3º lugar do Campeonato do Mundo de Enduro E2 de 2016, tendo inclusivamente garantido a vitória na classe Enduro GP na prova de Enduro em Itália em 2017.

Estas motos foram produzidas a nível apenas 150 unidades e a Yamaha Motor Portugal tem uma previsão de conseguir obter cerca de 5% da produção para Portugal.

A convite da Yamaha deslocámo-nos a Santiago do Cacém ao Off Road Camp da Yamaha, gerido por Pedro Barradas, onde as motos, uma unidade de cada modelo tinham sido colocadas para ensaio e testes dos media portugueses.

Sendo motos com um setup de competição pensámos em convidar o piloto Tomás Salgado, que recentemente se sagrou campeão do Troféu Yamaha 2017, para melhor perceber todo o potencial destas WR especiais.

Embora não sejam obviamente máquinas de competição de “fábrica” as WR450F e WR250F Enduro GP vêm equipadas com uma série de funcionalidades exclusivas da série que proporcionam aos pilotos interessados um nível adicional de performance, estilo e exclusividade.

Tomás Salgado teve a oportunidade de rodar nos dois modelos, que apenas se distinguem pelo comprimento do escape, já que os autocolantes que incorporam não referem a cilindrada sendo o da WR250 Enduro GP ligeiramente mais curto que o da sua irmã 450.

No final Tomás fez os seguintes comentários sobre a sua experiência:

“Em relação aos modelos de 2017, pouco mudou na versão de 2018 das WR da Yamaha, mas além das versões normais passa a existir uma versão Enduro GP de cada uma, que é o caso destas unidades com que rolámos. O envolvimento da Yamaha no Campeonato Mundial de Enduro aumentou nesta época, e os resultados têm aparecido com alguma regularidade, mas ainda é cedo para ‘bebermos’ do desenvolvimento que daí virá.

 

Nestas unidades contamos com uma decoração dedicada, protecções de mãos e de radiador (em alumínio e muito resistentes e bem acabadas), assim como um escape Akrapovic e um mapa de injecção diferente, para tirar maior partido do escape. Em ambas, os mapas tornam o carácter dos motores mais agressivo e potente, tornando menos fácil a sua utilização em zonas técnicas de enduro e/ou em zonas lentas, mas deixa-nos um enorme sorriso no rosto quando o trilho é mais aberto. Mesmo a mais ‘pequena’ é bastante potente, especialmente quando baixos (um pouco brusca no primeiro quarto de acelerador), mas que brilha mais nos médios e altos.

 

A 450cc é semelhante mas várias notas acima na pauta musical, com um motor muito cheio em toda a faixa de rotações (não fica atrás de muitas motos de motocross). Felizmente é fácil e possível alterar os mapas de injecção, podendo escolher um mais suave para passeios mais técnicos, e manter este (ou outro diferente) para os trilhos mais abertos, mesmo que utilizemos sempre este escape.

 

A ciclistica de ambas é muito estável, com o quadro de alumínio e suspensões Kayaba de molas a fazerem-nos sentir seguros nas zonas muito rápidas do tipo raide TT, mesmo em piso muito mau, nunca mostrando reacções estranhas nem nos fazendo sentir que estamos a abusar da sorte.

 

No reverso da medalha, são mais pesadas que as suas rivais europeias, obrigando a um pouco mais de esforço nas voltas mais enduristas, mas como as vitórias já conquistadas no WEC confirmam vão onde as outras vão. A travagem é excelente, especialmente agora com o disco dianteiro com 270mm de diâmetro, e a qualidade de construção é exactamente o que esperamos de uma marca como a Yamaha, excelente “ . ( Tomás Salgado ao MotoSport )

De facto as WR Enduro GP pareceram-nos verdadeiros “canhões” e com um setup muito virado para a competição. As motos esteticamente são de facto belíssimas. O desempenho da WR250 Enduro GP é de facto impressionante como referiu Tomás Salgado, quase parecendo uma verdadeira moto de cross tal é a entrega de potência que tem desde baixos regimes.

Destacamos o seguinte nas WR GP Enduro

. São motos de competição enduro de edição limitada

. Estão inspiradas na moto EnduroGP de Loïc Larrieu da Outsiders Yamaha Oficial Enduro Team

. Destinam-se essencialmente a pilotos de enduro de circuito fechado que procuram um nível adicional de performance, estilo e exclusividade

. A ponteira Akrapovič em titânio de peso reduzido é de belíssimo efeito

. Os Gráficos anti-riscos ao estilo de fábrica são de elevada qualidade

. Mapeamento da ECU otimizado para a competição

. As proteções para as mãos Acerbis Tri-fit multifunções de cor azul

. Motores com injeção de combustível de cabeça invertida de elevada eficiência

. O quadro em alumínio com barras bilaterais é extremamente compacto e ágil

. O Design de centralização de massas proporciona uma condução ágil

. As Suspensões dianteiras AOS são topo de gama

. A Suspensão traseira Monocross é do tipo “link”

. O Arranque elétrico é feito sem interruptor

. Embraiagem de enduro com relações de caixa longas sobretudo na primeira.

. Caixa do filtro de ar montada no topo com filtro de ar de remoção fácil

. Power Tuner opcional para mapeamento ajustável

A produção para a Europa está limitada a apenas 150 unidades de cada modelo e os seus PVPs são:

WR 250F Enduro GP – 9.850€

WR 450F Enduro GP – 10.350€

Disponibilidade:

As WR450F e WR250F EnduroGP estão disponíveis nos concessionários da Yamaha desde Agosto de 2017.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Em termos de Especificações Técnicas as motos são praticamente idênticas sendo que apenas diferem em termos de cilindrada, potência e peso. A WR 450 Enduro GP pesa 123Kg e a WR250 Enduro GP pesa 118 Kg.

Pedro Rocha

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.