Qualquer coisa pode servir como uma aventura, e para Ristert Mans tudo é uma aventura, até o ato de planeamento e de preparação. E foi isso que o levou a tentar criar um motociclo que fosse 100 por cento ecológico, ou quase. E encontrar todos os materiais foi mesmo uma aventura, principalmente o motor. Mas aí teve ajuda de outro inventor, Peter Mooij, que forneceu a Mans a tecnologia e o combustível que procurava: óleo de algas.

A moto tem uma estrutura de madeira de bétula, com reforços de cânhamo. Até a suspensão é feita de madeira, com o garfo dianteiro de bétula e carvalho, enquanto o amortecedor é de carvalho e cortiça. Apenas as rodas tiveram que ser mais tradicionais, com Ritsert Mans a instalar jantes de raios (de metal) e pneus comerciais, de 23 polegadas à frente e 21 atrás. Mas o mais interessante é o motor, e é isso que torna esta moto é invulgar.

Peter Mooij escreveu um livro chamado “Como as algas vão salvar o mundo” (apenas em holanês, não foi traduzido para português), descrevendo o potencial energético destas plantas aquáticas. Mooij preparou o motor Diesel de um cilindro e 500cc para Mans e forneceu-lhe o óleo de algas, explicando que as algas têm a capacidade de absorver a mesma quantidade de CO2 gerado pela queima do combustível.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.