GP das Américas/Moto2: Miguel Oliveira termina em sexto

Partindo da sétima posição, Miguel Oliveira terminou no sexto lugar o GP das Américas, terceira ronda da presente época. Numa corrida que já se sabia que seria muito exigente nas primeiras voltas o piloto da Red Bull KTM Ajo rodou no sexto posto, tendo subido ao quinto lugar após a queda do irreverente Mattia Pasini na curva 1.

Contudo e apesar de ter realizado uma corrida muito consistente, à semelhança do que já havia feito nos treinos livres, Oliveira não mostrou durante a corrida ter ritmo para chegar perto dos quatro primeiros, pois se recuperava tempo na parte sinuosa do circuito de Austin, depois perdia na zona mais rápida, o que impossibilitava a tentativa de conseguir ir mais além. Ao mesmo tempo acabou por ceder o quinto lugar para Dominique Aegerter, que vinha a segurar de forma magistral, após ter falhado uma travagem para a curva 1. Até ao fim o piloto português bem tentou recuperar novamente a posição, mas nunca teve uma verdadeira hipótese para suplantar a Suter de Aegerter. Nas contas do campeonato Miguel Oliveira, que tem realizado um grande início de época. mantém o terceiro lugar, mas agora a 32 pontos do topo e 11 pontos de vantagem para o quarto classificado.

Quanto à vitória ficou pelo terceiro Grande Prémio consecutivo nas mãos de Franco Morbidelli, que tem vindo a realizar um início de época perfeito constituindo-se como o mais sério candidato ao título. Depois de nas primeiras voltas ter trocado de liderança com o seu colega de equipa, Álex Márquez, o piloto italo-brasileiro aproveitou da melhor forma um pequeno erro de Márquez para assim assumir o primeiro posto, que não mais viria a largar até ao final. Como já é seu hábito Morbidelli imprimiu um ritmo diabólico – o único a rodar em 2m09s – que permitiu ganhar uma vantagem confortável e gerir a corrida a seu bel-prazer nas últimas voltas não obstante a tentativa de aproximação a meio da contenda por parte do mais direto perseguidor.

Incapaz de chegar a ‘Morbi’, Thomas Lüthi cruzou a linha de meta no segundo lugar com uma corrida muito consistente, somando o terceiro pódio em outras tantas corridas. O pódio completo com Takaaki Nakagami, que ascendeu a esta posição depois superar Álex Márquez, que mais uma vez falhou o pódio. Em dia de aniversário irmão mais novo de Marc Márquez nunca mais se conseguiu encontrar depois do erro que cometeu quando lutava pelo primeiro posto e terminou o Grande Prémio no quarto posto.

De sublinhar ainda o facto de novamente os quatro construtores presentes no Mundial (Kalex, KTM, Suter e Mistral) terem colocado pilotos no top 10 da corrida, o que espelha uma vez mais o equilíbrio vivido nesta competitiva categoria.

Alexandre Melo/Motosport