Honda cria primeiro carro a ter emoções humanas

Honda to Showcase “Cooperative Mobility Ecosystem” at 2017 Consumer Electronics Show
Rui Pelejão
Rui Pelejão
Editor-Executivo

A Honda apresenta em Las Vegas o Honda NeuV, o primeiro automóvel com Inteligência Artificial capaz de sentir emoções humanas 

Desde que começaram a rodar nas estradas, há mais de 100 anos, os automóveis geraram emoções e paixão nos humanos. Agora a Honda está prestes a criar o primeiro automóvel capaz de sentir emoções humanas. O carro-robot chama-se “NeuV” e de acordo com a Honda “é um protótipo de um carro elétrico equipado com Inteligência Artificial (IA), chamada motor emocional, que cria novas possibilidades para interação humana e valor para os utilizadores.”

O protótipo pretende demonstrar os avanços da Honda no domínio da robótica e Inteligência Artificial e será apresentado na edição deste ano da Consumer Electronic Show (CES) em Las Vegas. A Honda fará neste certame uma apresentação chamada “Ecossistema Cooperativo de Mobilidade” e o Honda NeuV será a grande estrela, já que incorpora muitas das tecnologias que a Honda considera relevantes para redefinir a mobilidade do futuro.

Desde ver como se reduzem os congestionamentos no trânsito, aos novos modos de conectividade a bordo Honda, os visitantes do CES vão poder ter uma experiência imersiva e multimédia do que será a mobilidade do futuro e conhecer o Honda NeuV, o carro-robot capaz de sentir e expressar emoções humanas.

Motor emocional

O motor emocional do Honda NeuV vai poder fazer com que o carro interaja com os seus passageiros e proporcione uma melhor experiência de viagem.

Pouco emocional é mesmo o design deste protótipo, de linhas quadradas e futuristas, presumivelmente leve e desenhado para circular nas cidades do futuro, mostrando que o racionalismo e pensamento cerebral é agora o principal foco do design de protótipos futuristas, deixando de lado a imaginação e a capacidade de sonhar que os grandes construtores automóveis sempre tentaram imprimir nos seus protótipos.

O que interessa agora não é a forma dos automóveis, mas a forma como eles se movem, se conectam e até expressam emoções humanas. A Honda está a criar tecnologias e produtos que cumpram os principais valores da marca –  limpa, segura, divertida e ligada ao mundo. Esses esforços incluem avanços em veículos automatizados, conectividade e emissões ultra-baixas de carbono.

Para atingir estas metas a Honda pretende que até 2030, dois terços de todos os produtos que vende globalmente sejam híbridos, plug-in, elétricos, incluíndo baterias fuel cell, uma das apostas de longo prazo da marca nipónica.

O Honda NeuV pode sorrir se o admirável mundo novo for assim tão idílico.