a carregar vídeo

Desde a chegada dos automóveis às estradas, há cerca de 120 anos, que as matrículas se mantêm praticamente inalteradas: chapas de metal com números diversos que indicam o registo em base de dados de um veículo. Contudo, o futuro promete trazer também novidades nesse capítulo, com uma empresa americana a propor matrículas digitais para maior funcionalidade.

Prometendo uma enorme mudança na forma como as matrículas dos automóveis são encaradas, a Reviver está a desenvolver uma matrícula digital, denominada rPlate, que permitirá tornar os veículos totalmente conectados.

Esse objetivo da Reviver está agora mais perto, fruto do investimento de 6.8 milhões de dólares por investidores privados, uma verba que será utilizada para acelerar este conceito de matrícula, que não se limitará a dispor os dados de registo do veículo. Sendo digital, permitirá também conectividade a uma vasta base de dados, como as dos diversos institutos emissões de matrículas (IMT em Portugal, por exemplo) e, noutra utilização, nas companhias de frotas através de elementos de localização e de telemática.

“Como resultado da nossa colaboração bem-sucedida com as autoridades rodoviárias e dos transportes, a rPlate está pronta para ajudar os grandes operadores de frotas na localização e gestão dos seus veículos. As nossas matrículas digitais vão ajudar os proprietários e operadores a providenciar uma plataforma para pagamento automático de portagens, estacionamentos ou até combustível”, refere Neville Boston, CEO da companhia.

Outras funcionalidades permitidas por esta tecnologia serão anúncios publicitários, mostrados durante o tempo de imobilização em sinais vermelhos, ou alteração de propriedade de forma digital.