Em 1993, a McLaren e a BMW surpreenderam o mundo criando o que melhor supercarro de estrada de todos os tempos. Mesmo hoje, em que os seus 627 cv já estão muito além do que a McLaren é capaz de fazer com a sua gama atual, ainda continua a ser um dos carros mais apreciados pelos entusiastas. A BMW também beneficiou muito desta ligação. E pode voltar a beneficiar muito em breve.

Quase 25 anos depois desta fantástica parceria, a McLaren e a BMW vão voltar a trabalhar em conjunto. A peça central desta parceria é a Ricardo Engineering, firma britânica que constrói o motor V8 usado pela McLaren nos seus modelos. A versão mais recente, que é usada no novo 720S, apresentado o mês passado no Salão de Genebra, atinge os 720 cv.

Mas não chega. A McLaren e a Ricardo juntaram esforços com a BMW, a Grainger & Worrall (especialista em moldes para peças de metal), a Lentus Composites (especialista em materiais ultraleves) e a Universide de Bath para tornar o motor M838T mais eficiente no aproveitamento de combustível, para conseguir mais potência com menos combustível. E talvez sai algo mais desta parceria do que uma simples atualização do motor atual.

A BMW não tem um supercarro, e um McLaren-BMW já funcionou da última vez. Aliás, a ligação entre as duas empresas vai mais além do que este modelo. Nos Estados Unidos, a McLaren Engines (que hoje ainda existe, mas já não é propriedade da McLaren) preparou motores de competição para carros da BMW no Campeonato IMSA nos anos 70 e 80, e Ron Dennis inscrevia um M1 na antiga série BMW Procar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.