O Volkswagen Golf, modelo com enorme importância para a marca alemã, apresta-se a receber uma atualização profunda que o visual não deixa perceber, mas que vai muito além das simples alterações estéticas.

Por fora, o novo compacto de segmento C não se altera muito, destacando-se por ligeiros retoques nos faróis, grelha e para-choques. Uma linha tradicionalmente clássica de que a Volkswagen não abdica e da qual tem retirado proveitosos frutos ao longos das últimas décadas. Mas, se o estilo não é o que de mais relevante se extrai no Golf na sua mais recente atualização, o que se esconde de tão novo sob o metal?

Motor de nova geração

O Golf é o primeiro modelo a contar com um motor da mais recente geração, capaz de combinar injeção direta com um turbo de geometria variável, mais comummente conhecido pela sua sigla TGV. Até aqui mais usual em modelos de topo, como os da Porsche, marca na qual esta tecnologia se estreou em modelos a gasolina, o novo Golf recorre ao 1.5 TSI Evo, com dois níveis de potência: 130 cv e 150 cv, o primeiro dos quais com 200 Nm de binário logo às 1.400 rpm (versão Bluemotion).

O objetivo? Elevar a eficiência, com a companhia de Wolfsburgo a estimar uma poupança de até 1,0 l/100 km com estes dois novos motores. A razão está na tecnologia de desativação de cilindros (ACT) que permite desligar dois dos quatro cilindros quando o acelerador não está em ‘carga’, assim melhorando os consumos e as emissões poluentes. A este respeito, note-se que o Golf com versão de 150 cv tem consumo médio de 4,9 l/100 km e emissões de 110 g/km CO2, ao passo que o Bluemotion consome 4,6 l/100 km e emite 104 g/km de CO2. Esta última destaca-se pelo modo de desativação do motor em condução mais tranquila.

a carregar vídeo

Conduz-se sozinho

Não em todas as situações, mas o novo Golf já apresenta funcionalidades de condução semiautónoma. Graças a um novo modo ‘Traffic Jam Assist’, ou seja, assistente de engarrafamentos, o Golf pode retirar algum do stress ao condutor, assumindo o controlo em engarrafamentos mercê da combinação do cruise control adaptativo e do assistente de saída da faixa de rodagem, acelerando, travando e virando até aos 60 km/h. Para já, este sistema apenas está disponível para versões com caixa automática.

Segurança máxima

Tal como no campo da condução semiautónoma, o novo Golf muniu-se das mais relevantes e atuais soluções de tecnologia de segurança. Além dos anteriores sistemas como o Cruise Control Adaptativo (ACC), Assistente Frontal com Assistente de Travagem de Emergência, Sensor de Ângulo Morto, Alerta de Tráfego Cruzado Traseiro, Assistente de Estacionamento (Park Assist), Sistema de Alerta do Condutor, Câmara Traseira (Rear View), Reconhecimento de Sinais de Trânsito, Travagem Pós-Colisão, Estabilizador de Reboques, Assistente de Reboques, Travagem de Emergência e Monitorização de Peões para o Assistente Frontal, também com Travagem de Emergência. Além, claro, do já referido Traffic Jam Assist.

Controlo por gestos

Ainda não é uma solução tão avançada como aquela que se assiste em diversos filmes de ficção, mas o renovado Golf conta com controlo por gestos do sistema de entretenimento de topo, o ‘Discover Pro’, com ecrã de 9.2 polegadas. Além de acessos táteis graças à superfície capacitiva, o controlo por gestos permite alternar entre ecrãs com a mão, bastando movimentos na horizontal.

Noutra vertente, não menos relevante, o sistema Active Info Display com recurso a ecrã digital de 12.3 polegadas passa a substituir o painel de instrumentos analógico. Personalizável, este sistema oferece ao condutor um acesso mais completo a toda a informação de condução, com visões distintas em cada modo.

Centro de conforto

O renovado Golf apresenta um número de sistemas de conveniência e de funcionalidades que são adaptáveis a cada utilizador. Ou seja, cada condutor tem as suas próprias configurações sempre guardadas. A Volkswagen desenvolveu uma conta pessoal para cada utilizador em que as afinações são guardadas, com o acesso ao menu de gestão de utilizadores a permitir a escolha do seu perfil. O veículo adapta estas configurações através da chave no momento em que é destrancado. A partir daí, itens como a iluminação ambiente, cruise control adaptativo, Front Assist, sistema de infoentretenimento, ar condicionado, painel de instrumentação, posição de condução, entre outros elementos, são ajustados para o condutor em cada momento.

Família completa

A renovação é completa e é para toda a gama: desde o compacto de cinco portas à carrinha Variant. Mas, para quem procura um maior nível de adrenalina, a Volkswagen atualizou também o Golf GTI. Este desportivo com sigla icónica passa a debitar 230 cv de potência (mais 10 cv do que anteriormente) e a versão GTI Performance chegará aos 245 cv de potência, ambos estreando a caixa automática de dupla embraiagem DSG de sete velocidades. Mais tarde virá ainda o elétrico e-Golf e o GTE, que une motor térmico com um motor elétrico para eficiência redobrada.

É um Golf…

A marca reconhece a mais-valia deste modelo e a validade da receita da continuidade da sua imagem, razão pela qual teima em não mudar por aí além as suas linhas, mesmo quando o salto é de geração em geração. No caso deste facelift as mudanças são tremendamente ténues: mudanm os faróis, os para-choques, os farolins traseiros, os estilos de escolha para as jantes e as cores, além de novos materiais interiores. Nota, ainda, para a iluminação: novos faróis de halogéneo com luzes diurnas em LED e hipótese Full LED em opção à iluminação de xénon.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.