Num fim de semana em que a Comic Con toma conta de Matosinhos (no centro de exposições da Exponor, até este domingo, dia 11 de dezembro), vale a pena recordar alguns dos veículos que também fizeram história na banda desenhada, desde a mota de Akira à Mystery Machine de Scooby Doo, passando pelo incontornável Batmobile do Homem-Morcego, o Batman.

Akira

Considerado ainda hoje como um dos filmes de referência do Japão, Akira centra-se na rivalidade entre Tetsuo Shima, possuidor de dons psíquicos, e Shotaro Kaneda, líder de um gang de motoqueiros numa Tóquio futurista (2019) em que o ambiente é propositadamente cyber-punk. A produção e imaginação do conceito deste filme ficou a cargo de Katsushiro Otomo, baseando-se na sua própria banda desenhada (manga, em japonês). Kaneda tripula uma moto que se tornou emblemática, quer pelo visual futurista, quer pelo arrojo de sistemas como os de sistema de auto-navegação ou o radar dianteiro.

Batman (Batmobile)

O Batmobile, que tem servido Batman ao longo dos anos na sua luta contra o crime em Gotham City, é um dos que mais transformações tem sofrido ao longo dos anos. Inicialmente, era vermelho e não tinha qualquer ‘poder’ especial que não o ser de… Batman. Na década de 1960 a sua imagem era semelhante à dos modelos da altura, longo, mas já com frente arrojada e asas a fazer lembrar as de um morcego nas laterais do porta-bagagens.  Na verdade, são várias as iterações deste modelo, sendo que nos tempos mais recentes, o Batmobile assume um carácter de superdeportivo indestrutível e de aspeto robusto.

Initial D (Toyota AE86)

As entregas de tofu nunca tiveram tanto estilo como nas mãos de Takumi Fujiwara. Empregado numa estação de serviço durante o dia, Takumi era também o entregador de tofu na empresa do seu pai durante a noite, utilizando o vetusto, mas altamente dinâmico, Toyota AE 86 Trueno. Esta é a premissa de fundo da série de animação japonesa Initial D (criada por Shuishi Shigeno), na qual a trama girava em torno dos duelos noturnos entre os diversos grupos rivais nas estradas do Monte Akina. Curiosamente, a história de Takumi tem traços paralelos com a de Keiichi Tsuchiya, comummente apelidado como o ‘Drift King’.

Scooby Doo (Mystery Machine)

Durante muitos anos, houve quem confundisse a carrinha misteriosa do heterogéneo ‘gang’ do Scooby Doo com uma Volkswagen ‘Pão de Forma’. Ao invés, esta ‘Mystery Machine’ é apenas um exemplo daquilo que poderia ser uma carrinha versátil, que servisse ao propósito da equipa de deslindar mistérios relacionados com assombrações e outros elementos paranormais. Scooby Doo nunca escondeu o medo na sua ‘profissão’, tal como também nunca ocultou o seu carinho por esta carrinha colorida, que é propriedade de Fred.

Speed Racer (Mach Five)

A competição automóvel era o mote da série Speed Racer, com o protagonista a conseguir, pelo caminho, derrotar os vilões e rivais. O Mach Five era um modelo supersónico com diversas capacidades especiais ativadas a partir de uma série de botões integrados no volante. Tão depressa conseguia ativar o  macacao hidráulico como umas serras na dianteira para cortar os impecilhos que os seus rivais deixavam no caminho.

Transformers (Optimus Prime)

A série Transformers surgiu na década de 1980 com o foco colocado na luta violenta entre duas fações distintas de robôs que encalharam no planeta Terra e que lutam pela supremacia espacial. Ao chegarem ao nosso planeta, estes gigantes mecânicos adquiriram a capacidade de se transformar em automóveis. O líder do conjunto dos bons, Optimus Prime, recorreu ao imponente formato de um semi-reboque Kensworth K100 para se impor.

Caça-Fantasmas (Ecto-1)

De carrinha funerária a ícone cinematográfico. O percurso desta carrinha Cadillac de 1959 foi espantoso, valendo a este modelo um reconhecimento que ainda hoje persiste em relação ao Ecto-1. Na banda desenhada, este automóvel foi concebido pelo investigador do paranormal Ray Stantz, que lhe deixou espaço para acolher os packs de protões de cada um e as armadilhas para as entidades incorpóreas.

Ronda bónus: McLaren-Honda (Dragon Ball Z)

Na lista de criações de Akira Toriyama, a série Dragon Ball ganha o lugar principal no que a notoriedade diz respeito. Criada em meados da década de 1980, a história de Son Goku e dos seus amigos ganhou relevo em papel e no ecrã, sem que os veículos tenham tido muita preponderância. Apenas raras vezes, para as personagens secundárias, são necessários veículos, usualmente voadores. Contudo, há um facto que torna esta saga mais interessante: a sua ligação à McLaren-Honda e a Ayrton Senna.

No auge da popularidade na década de 1990, era da Honda uma parte do domínio na Fórmula 1, pelo que Toriyama ganhou também afinidade com a modalidade. Em 1990, ano do segundo título mundial de Senna, o desenhador e o piloto encontraram-se para trabalharem juntos numa banda desenhada especial para uma das edições da revista de manga japonesa, a Shonen Jump (que chegou a patrocinar a equipa em parte da temporada de 1990). Daí que a popular série de animação tenha também oferecido um cunho de divulgação da própria modalidade e da marca japonesa, numa situação naturalmente benéfica para todos. Outros tempos, em que até a publicidade ao tabaco passava incólume.