Porque é que a AutoEuropa vai fazer um modelo estratégico para a VW?

A escalada dos SUV como substitutos dos monovolumes e o crescimento dos SUV compactos no mercado levou a que, de modo geral, as marcas de automóveis apostassem cada vez mais nestas categorias. E a Volkswagen não quer ficar para trás na corrida. O lançamento do T-Roc, que reúne expetativas elevadas perante o público, é cuidadosamente preparado pelo fabricante alemão, que confiou na AutoEuropa para a produção do modelo. E porquê a AutoEuropa? A fábrica, localizada em Palmela, reveste-se de uma notável para a Volkswagen. E há motivos para isso.

Fundada em 1991 como uma joint venture pertencida em igual percentagem pela Ford e pela Volkswagen, a AutoEuropa situa-se em Palmela e é um dos maiores investimentos estrangeiros industriais em Portugal. É a maior fábrica de automóveis em Portugal. Apesar de ter registado uma quebra perto dos 17% na produção em 2016, só no ano passado a AutoEuropa produziu 85.126 unidades, de um total de 143.096 viaturas que saíram das cadeias de montagem de fábricas por todo território nacional: o que significa que mais de metade da produção de automóveis em Portugal é feita na AutoEuropa.

Se estes dados atestam a importância da AutoEuropa para Portugal, o que significa a fábrica de Palmela para o Grupo VAG? Os modelos fabricados ajudam a responder à questão:

div” data-cycle-speed=”1000″ data-cycle-swipe=”false” data-cycle-tile-count=”7″ data-cycle-tile-delay=”100″ data-cycle-tile-vertical=”true” data-cycle-timeout=”4000″>

Volkswagen Sharan
Um dos modelos há mais tempo produzidos na AutoEuropa, que desde 1995 sai das cadeias da fábrica, e uma das referências no mercado dos monovolumes.

Seat Alhambra
Monovolume de 7 lugares com o carimbo da SEAT, é fabricado na AutoEuropa desde 1995. Tal como o Volkswagen Sharan, é um dos modelos há mais tempo produzidos na fábrica.

Volkswagen Eos
Até ser descontinuado em 2015, o Volkswagen Eos foi produzido pela AutoEuropa desde 2006. Um versátil automóvel com caraterísticas de coupé desportivo e de descapotável.

Volkswagen Scirocco
O icónico Scirocco cuja primeira geração foi apresentada em 1975. É o modelo que mais recentemente começou a ser produzido na AutoEuropa, em 2008.

A Volkswagen produziu estes modelos, com particular destaque para o carismático Scirocco, mantendo a forte aposta na AutoEuropa mesmo em tempos incertos. Thomas Ulbrich, membro do conselho de administração da Volkswagen e responsável de logística e operações aludiu ao exemplo da AutoEuropa como uma referência “em matéria de modelo de gestão e sustentabilidade”, sublinhando que a Volkswagen se confortável em Portugal. Para o Ulbrich, a eficiência e a produtividade da AutoEuropa são de níveis “extraordinários”.

Leia também: Por dentro dos segredos da Volkswagen

O responsável da Volkswagen assegurou a confiança da marca no final do ano passado, altura em que o conglomerado alemão se ressentia (e ainda hoje se ressente) do escândalo das emissões. Mas a garantia de que a AutoEuropa se mantém nos planos da Volkswagen não poderia ser mais clara do que o facto de é na unidade de Palmela que o T-Roc será produzido: “Com o novo automóvel que vão produzir, farão parte desta ofensiva que são os SUV. Os próximos tempos não serão fáceis mas apostamos aqui na AutoEuropa”, esclareceu o mesmo responsável.

A confiança na produção, na eficácia e no desempenho da AutoEuropa fizeram com que a Volkswagen escolhesse esta unidade para a produção da importante aposta que é o T-Roc. A escolha não deverá ter sido fácil, mas as garantias da fábrica de Palmela ultrapassaram qualquer duvida. E como são assegurados os processos de produção da AutoEuropa tanto louvados pela Volkswagen?

 

div” data-cycle-speed=”1000″ data-cycle-swipe=”false” data-cycle-tile-count=”7″ data-cycle-tile-delay=”100″ data-cycle-tile-vertical=”true” data-cycle-timeout=”4000″>

Prensas
Dar vida.
Esta área da fábrica de Palmela é singular, tornando a Volkswagen Autoeuropa na única fábrica, em Portugal, que produz as peças para os veículos que fabrica. É aqui que é dado o primeiro passo de um longo processo através do corte das bobines de aço à medida das peças a que se irão destinar. O aço é cortado, resultando num conjunto de platinas que será sujeito à estampagem.

Unidade de Negócios de Cunhos e Cortantes
Para a Europa.
Esta unidade produz três tipos de ferramentas que entram nas operações do processo de prensagem: embutissagem, o corte e a calibração/dobragem. Esta produção destina-se não só à Volkwagen Autoeuropa mas também a outras fábricas europeias do Grupo.

Unidade de Prensas
Exportar qualidade
Para além de peças para os modelos fabricados na Volkswagen Autoeuropa, existe a Unidade de Prensas.
As peças exportadas pela área de prensas estão incluídas na montagem de diversos modelos de veículos do Grupo Volkswagen, quer sejam marca Audi, SEAT, Volkswagen ou Porsche.

Carroçarias
Nasce a carroçaria. É aqui que é construída a carroçaria do veículo através de processos de soldadura, em que se unem as peças prensadas se procede à verificação de qualidade do mesmo.

Pintura
Cor é personalidade
Nesta fase o veículo passa pela fase dos “12 banhos”, na qual são retirados os excedentes dos procedimentos anteriores, como óleo ou limalhas. O automóvel passa por um tratamento químico que o protege contra a corrosão e depois sim, adquire a sua personalidade própria, quando lhe é aplicada a cor.

Montagem
A alma do automóvel
É na área de montagem que acontece a “magia”. O que era apenas uma carroçaria transforma-se num automóvel: são montados os componentes, provenientes dos diversos fornecedores, como o rádio, bancos ou o motor, entre outros.

A AutoEuropa é uma garantia para a Volkswagen. Não é, por isso, estranho que os alemães tenham escolhido mais uma vez a fábrica de Palmela para a produção do tão aguardado T-Roc, a importante aposta da marca de Wolfsburgo para competir com modelos como o Audi Q2, SEAT Arona, Nissan Juke, Peugeot 2008, Renault Captur, Hyundai Kauai ou o Kia Stonic. Descubra como foi desenhado o T-Roc, este importante SUV que fez com que a Volkswagen contratasse mais 1500 empregados para a AutoEuropa. Esperemos que este seja mais um exemplo para dar continuidade ao sucesso proveniente de Portugal, porque afinal o que é nacional é bom.

Miguel Policarpo


Nota: textos e imagens da fotogaleria referente à produção na AutoEuropa originais do site da AutoEuropa.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.