Acidente de Neuville rouba-lhe liderança do Rali da Suécia

a carregar vídeo

Thierry Neuville voltou a cometer um erro quando liderava confortavelmente uma prova ao perder uma roda na super especial do rali da Suécia e com isso a liderança.

É de todo inesperado, uma vez que se trata duma super especial, mas a verdave é que se em Monte Carlo ainda se desculpa, pois foi um enorme azar alargar 20 cm uma trajetória e bater num pequeno muro de cimento, já na super especial do Rali da Suécia, num troço com 1.9Km, quando se tem uma vantagem de mais de 40s, sair de estrada e perder uma roda é mau demais para ser verdade… É muito azar para a Hyundai, cujos responsáveis e equipa não mereciam isto, mas absolutamente indesculpável para Thierry Neuville… O novo líder, é Jari-Matti Latvala.

 

São assim os ralis e quando Thierry Neuville liderava com uma margem confortável o Rali da suécia, nunca sendo, ao contrário do Rali de Monte Carlo, verdadeiramente pressionado ao ponto de ter que aumentar o ritmo eis que o piloto belga, que até aqui realizara sempre cronos entre os três primeiros das especiais, voltou a meter o pé na poça e estragou outra vitória praticamente certa. E vão duas…

Até ao acidente na super especial, nunca houve, sequer, sinais de que alguém pudesse estar a esboçar uma ataque à liderança que o belga construiu paulatinamente desde o quinto troço do rali. Até aí, Jari-Matti Latvala ainda lhe deu luta, mas desde esse momento nunca mais a margem parou de aumentar. Chegou ao fim do dia de ontem com 28.1s e transformou-a hoje em mais de 40 segundos. Se tivesse ‘juízo’, tinha o rali na mão. Mas não teve…

E agora o novo líder é Jari-Matti Latvala, que está a realizar uma grande prova, e com uma nuance importante. Sendo verdade que os resultados é que contam, em Monte Carlo o finlandês obteve um segundo lugar com um boa pontinha de sorte, com o abandono de Neuville e os problemas no motor do Fiesta de Tanak, já aqui na Suécia este resultado, até ver, é completamente baseado em puro andamento – mesmo que acabe por não ganhar, claro – e é de se tirar o chapéu a uma equipa que trabalhou muito bem nos últimos meses, e construiu um carro que, até ver, está bem posicionado para lutar pelas primeiras posições ao longo do ano. Ainda assim nestas últimas especiais tem sofrido com o ataque dos dois homens da Ford, e Ott Tanak está cada vez mais perto do finlandês, numa luta que será muito interessante de seguir amanhã.

Ott Tanak está somente a 3.8s de Latvala e mesmo Ogier, que é quarto, não está muito mais longe, a 12.8s do seu companheiro de equipa. Tanak fez uma bela exibição em Monte Carlo, e aqui na Suécia está em linha com o que já fez em anos anteriores, sendo que desta feita está mesmo a prometer um grande lugar no pódio, restando saber qual vai ser. A continuar assim, será o primeiro. Depois do azar o ano passado na Polónia, seria bem merecido pelo que tem vindo a fazer. Mas o rali ainda não acabou…

Sébastien Ogier é terceiro, e depois de ter sofrido com a limpeza da neve fresca no primeiro dia, perdeu com isso 55.7s, uma margem que de repente cai para 16.6s face ao líder, que é agora o seu companheiro de equipa na M-Sport. Mas fica por saber o que não permitiu ao francês fazer melhor no dia de hoje, mas este não pareceu o Ogier do costume. É verdade que a neve sueca não é o local ideal para brilhar mas a verdade é que já venceu esta prova três vezes. Ironicamente, os três primeiros vão para o último dia de prova separados por 16.6s.

José Luis Abreu/Autosport