Autódromo do Estoril sem licença há 45 anos

O Autódromo do Estoril foi hoje notícia um pouco por todo o lado, uma vez que estará numa situação de ilegalidade desde a sua construção, em 1972, isto porque nunca terá tido licença de construção ou utilização, com a sua construção a ocupar terrenos que são agora reclamados pelos donos, Câmara Municipal de Cascais e privados. o Município cascalense pensa mesmo em expropriar o complexo, que como se sabe pertenceu ao grupo Grã-Pará, mas que o ‘deu’ como pagamento de dívidas à Parpública, a empresa que gere as participações do Estado.

Basicamente tratam-se apenas de questões burocráticas, e que não impediram, muitas dezenas de vezes, que elementos dos sucessivos governos tivessem marcado presença no complexo, presenciando alguns dos maiores eventos desportivos dos mundiais, como é o caso da Fórmula 1, do Mundial de Ralis, MotoGP, só para dar três exemplos. Ao comum adepto a única coisa que verdadeiramente interessa é que o circuito do Estoril nunca sucumba ao ‘imobiliário’ e se isso alguma vez suceder, que seja com a pista e não, ao invés dela. A quase constante presença de eventos de marcas, testes de equipa, ou competições, muitas delas de alto nível, justificam perfeitamente que se mantenha por muitos e bons anos um autódromo que já ‘fez’ mais do que o suficiente para ficar bem registado nos livros da história do desporto automóvel mundial.

José Luís Abreu