Dicas para prolongar a vida dos pneus

Se no futuro chegarmos a dispor de um carro voador à porta de casa, a preocupação com pneus é algo que naturalmente deixará de existir. Porém, enquanto tal não acontece, são eles que garantem o contacto do veículo ao solo e, por isso, estarem em devidas condições de utilização aumenta a segurança e faz-nos poupar na carteira, preservando as idas à oficina para reparações ou aquisições de novas borrachas. Daí que aqui ficam três dicas simples para preservarmos a saúde dos pneus:

A pressão dos pneus

É dos pontos mais fáceis de controlar e ao mesmo tempo mais importantes e que, muitas vezes, descuramos. Os carros indicam a pressão ideal que devemos ter nos pneus, mas há uma tendência para não verificarmos a temperatura com frequência e eles acabarem por andar com uma pressão abaixo de desejável. Isto faz com que a borracha dobre em curva, reduzindo a segurança pela menor aderência, além de poder mais facilmente furar.

A idade

É importante sabermos quantos anos tem um pneu. Todos ostentam os números, por exemplo, 35:04. O 35 diz respeito à semana em que foi produzido, no caso, semana 35 de 52 que constituem o ano, e o 04 ao ano, no caso, 2004. Quanto mais envelhecido maior a probabilidade de poder vir a ter problemas. Em caso de dúvida para a sua substituição, deve consultar a opinião de um mecânico.
A evitar

Subir, por exemplo, passeios no estacionamento, dado que o impacto que o embate provoca nas telas, além de o fragilizar, poderá contribuir para que este fure ou rebente. Por outro lado, deve-se, naturalmente, evitar os buracos na estrada, até porque são momentos em que circulamos a maiores velocidades e que o impacto é ainda maior. Se, por exemplo, a pressão não estiver conforme a indicada, a possibilidade de se furar é elevada.

André Duarte

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.