F1: Equipas têm de rever a segurança dos carros após o terrível acidente de Billy Monger

As equipas de Fórmula 1 foram instruídas a modificar a secção traseira dos monolugares depois do terrível acidente de Fórmula 4 sofrido pelo jovem piloto britânico Billy Monger em Donington Park em abril, e que culminou com a amputação de ambas as pernas.

Laurent Mekies, responsável máximo pela segurança da FIA, escreveu às equipas antes do Grande Prémio do Mónaco a detalhar os pontos onde os ‘macacos’ mecânicos levantam os carros durante as paragens nas boxes.

“Na sequência de alguns acidentes na frente e traseira dos monopostos de várias categorias, a FIA gostaria que todas as equipas de F1 se assegurassem que os pontos de levantamento dos carros não possam atuar agressivamente durante um acidente”, escreveu Mekies. O responsável da FIA afirma que, considerando os pontos de ancoragem dos ‘macacos’ mecânicos podem ser um dos pontos iniciais de contacto de um carro com outro e alterar a performance da estrutura de proteção de outro carro, por isso pede que “utilizem designs agressivos que não permitam que isso aconteça a partir do GP do Mónaco”.