F1: Ferrari espera evitar penalidades com os motores

Sob os atuais regulamentos da F1 os pilotos podem usar quatro exemplares de cada um dos seis elementos que compõem a unidade de potência dos seus monolugares, dos quais o turbocompressor é um deles.

A Ferrari espera evitar penalizações na grelha de partida na segunda metade da época, no qual incorre se ultrapassar esse limite, estando nele relativamente aos turbo. Caso seja utilizado um quinto exemplar a ‘Scuderia’ sabe que incorre na perda de dez lugares na grelha.

Depois de problemas em provas anteriores Sebastian Vettel e Kimi Räikkonen estão já no seu quinto turbo, colocando-os numa situação precária. E o diretor técnico da Ferrari, Mattia Binotto acredita que a equipa pode atingir o final do campeonato recorrendo a um eficaz sistema de rotatividade: “Certamente que é de alguma forma preocupante termos uma avaria de turbo no começo da época, pois tivemos de substitui-los. Tivemos de introduzir o número três e o número quatro muito cedo. Dito isto iremos introduzir os turbo seguintes com algumas modificações em termos de fiabilidade e eles funcionam bem de momento. Mas como atingimos a quilometragem disponível para cada um deles tivemos de rodar entre eles. O nosso objetivo será concluir a época com os atuais turbo”.

Binotto também tem uma visão muito própria do que poderá ser a luta pelo título entre Ferrari e Mercedes, que lidera o campeonato de construtores com 39 pontos de vantagem depois da ‘dobradinha’ na Hungria: “Cada corrida é diferente das outras. Houve corridas no começo da época onde estivemos competitivos, noutras foi a Mercedes. Se levarmos como exemplo o começo da época, no Bahrein, a Mercedes estive muito competitiva na qualificação e nós na corrida. Não acho que há uma tendência clara, o que marca a competitividade das duas equipas. Certamente que os desenvolvimentos são muito importantes, e têm de ser feitos corrida a corrida”.