F1: Pilotos querem carros a atingir os 450 km/h

Alexander Wurz acredita que a Fórmula 1 precisa de ser mais rápida para ser mais interessante para o público. O presidente da GPDA, a associação de pilotos da F1, tem feito campanha por maior segurança, mas quer, ao mesmo tempo, que as velocidades dos carros subam bastante, para valores em redor dos 450 km/h.

Mesmo com a maior procura por segurança melhorada, Wurz quer que as corridas sejam disputados ao limite em todos os aspetos, de modo a melhorar o espetáculo para os fãs. Nesse aspeto, o antigo piloto austríaco, que correu pela Benetton e Williams e venceu Le Mans duas vezes, pretende estabelecer a ideia que “os fãs precisam de ver as corridas e pensar que nunca poderiam fazer isto”.

Wurz quer que a tecnologia de segurança melhore o suficiente não só para atingir velocidades na ordem dos 450 km/h, mas também que sejam eliminadas as escapatórias de segurança, o que permitiria aos pilotos perceber melhor os limites de pista e tornaria a compreensão das corridas menos complicadas para os fãs.

O presidente da associação de pilotos continua a insistir no capítulo da segurança, sendo o principal defensor da introdução do halo como instrumento de segurança, avançando com a ideia que “se os carros forem mais rápidos, o diretor de corrida não vai precisar de se concentrar em cuidar dos pilotos”.

Paulo Manuel Costa/Autosport