GP Grã-Bretanha F1: Bottas volta a ser o mais rápido em Silverstone

À imagem da primeira sessão Valtteri Bottas foi o mais rápido na segunda sessão de treinos livres, com uma volta ainda melhor que a realizada de manhã – 1m 28,496s e novamente batendo o seu companheiro de equipa Lewis Hamilton, e novamente por uma curta margem, 0,047s, mostrando que os Mercedes têm um bom acerto para Silverstone.

A diferença para a primeira sessão é que desta vez os pilotos da Ferrari ficaram logo atrás dos homens da Mercedes, com Kimi Raikkonen a ser o melhor dos pilotos da equipa de Maranello, ficando a 0,332s de Bottas, enquanto Sebastian Vettel gastou mais 0,420s que o vencedor do recente Grande Prémio da Áustria.

Hamilton começou por realizar uma volta em 1m28,780s com pneus macios. Logo a seguir o britânico da Mercedes melhorou para 1m28,543s, deixando-o seis décimas à frente de todos os outros, até Bottas montar de pneus médios para super macios e a meia hora do final da sessão conseguir rodar em 1m28,496s. Isso fez Lewis montar também super macios mas falhar a sua tentativa de bater o companheiro de equipa ao sair largo em Chapel.

Apesar de ter feito o terceiro tempo, Raikkonen não teve um treino isento de problemas, já que sofreu de sobreviragem em Becketts e fez um pião que levou o Ferrari para a gravilha, apesar de ter conseguido sair dela sem auxílio. Max Verstappen conseguiu ser o melhor piloto da Red Bull, com o quinto registo a 0,602s de Bottas, também com pneus super macios, sendo quase meio segundo mais rápido do que o seu companheiro de equipa Daniel Ricciardo, que utilizou o mesmo tipo de pneu.

Nico Hulkenberg, Felipe Massa, Fernando Alonso e Esteban Ocon completaram o top cinco, todos usando pneus super macios, com o brasileiro da Williams a fazer um pão em Chapel já depois de ter feito a sua melhor volta. Massa também chamou as atenções dos comissários desportivos ao estar na trajetória de Verstappen quando o holandês estava numa volta lançada.

No entanto quem esteve mais em apuros neste segundo treino foi Carlos Sainz Jr, que protagonizou uma incursão fora de pista na sequência de Maggotts e Becketts no início da sessão, que levou o piloto da Toro Rosso a ficar nas boxes até 40 minutos do final do treino.