“A Volkswagen teria continuado a ganhar no WRC…”

Em declarações ao Autosport inglês, o antigo patrão da Volkswagen disse que o domínio da equipa que liderava antes da sua ida para a McLaren iria manter o ascendente que tinha sobre as restantes equipas e consubstancia a sua opinião no facto de ter parado com o desenvolvimento no VW Polo WRC 2016 e canalizado tudo para o carro novo, que como se sabe, testou muito antes da VW ter dado por terminado o projeto.

”Começámos a trabalhar mais cedo que toda a gente, teríamos um grande vantagem no início do campeonato. Teríamos os três pilotos, Sebastien Ogier, Jari-Matti Latvala e Andreas Mikkelsen e quando olhamos para o que estão a fazer estes ‘tipos’ noutras equipas, a queixarem-se dos seus carros, depois de terem testado o Polo várias vezes, então percebe-se que a Volkswagen continuaria a ter o melhor conjunto. É óbvio tendo em conta o tempo que passámos com o carro”, disse Jost Capito.

Palavras naturais de alguém que liderou um projeto e que o viu ir “pelo cano abaixo”. Sendo a VW a equipa que mais dinheiro colocou no seu ‘esforço’ que fez no WRC desde o início de WRC, a que pode contratar os melhores pilotos, engenheiros, mecânicos, e não só, por isso é natural que tenha tido o melhor carro, que na verdade, ganhou quase tudo que havia para ganhar. Contudo, agora é fácil dizê-lo, mas infelizmente para ele, que o disse, nunca vai poder prová-lo, portanto, tratam-se apenas de palavras e a verdade é que no WRC 2017, todas as equipas já ganharam, o campeonato “está bom e recomenda-se”. Foi, na verdade, uma grande perda para o WRC, mas não deve haver muita gente cheia de saudades…