Rali da Alemanha, PE8: Derrapagem artística de Ott Tanak

Ott Tanak foi o piloto que melhor se adaptou às escorregadias estradas que marcaram a segunda metade do primeiro dia de Rali na Alemanha.

O estónio chegou à paragem na assistência a 4.1s de Mikklesen e converteu essa diferença num avanço de 5.7s face ao piloto da Citroën, que está também a dar muito boa conta de si. Por outro lado, o duo da frente, que tinha Ogier mais perto, logrou conseguir afastar-se dos seus adversário e neste momento, Thierry Neuville, que passou Sébastien Ogier na geral fruto dum pião do francês, em que perdeu 20 segundos, é para já terceiro. Desta forma, Ogier arranca para o segundo dia de rali com 2.4s de atraso para o belga, numa boa luta pela liderança do campeonato. Elfyn Evans é quinto a 52.1s de Tanak.

A chuva que caiu durante a paragem na assistência não deixou dúvidas a ninguém quanto aos pneus a utilizar, de chuva, mas os troços estiveram muito escorregadios. Tanak levou também pneus slicks macios e com isso conseguiu um bom equilíbrio para o carro, mesmo que não tenha conseguido evitar um erro em Mittelmosel, pois como confessou, podia ter-lhe saído caro. Ogier estava a preparar-se para deixar Neuville a uma distância confortável mas estragou tudo com um pião, em Wadern. Neuville chegou a quinto depois dos problemas de Jari-Matti Latvala, e de Elfyn Evans, cujos pneus Dmack simplesmente não funcionaram com estas condições de troços. Esapekka Lappi bateu em Grafschaft, depois de deixar o carro escorregar até ao muro depois duma berma demasiado enlameada. Juho Hanninen passou assim a ser o melhor Toyota, no sexto lugar, com o finlandês a aproveitar também um pião de Craig Breen.

Tempos Online – CLIQUE AQUI