Rali da Polónia: Três separados por 6.6 segundos…

Terminada que está a primeira etapa do Rali da Polónia, três pilotos chegam ao final do segundo dia de ralis separados por apenas 6.6s. Thierry Neuville, Ott Tanak e Jari-Matti Latvala andaram o dia todo ‘embrulhados’, mas ao cabo de dez especiais a margem entre o líder, Neuville e Tanak é de apenas 1.3s sendo que Latvala está apenas 5.3s mais atrás.

Sébastien Ogier chegou a estar envolvido nesta luta, na fase inicial da tirada, mas a pouco e pouco foi perdendo gás, caindo para terceiro na quarta especial e mais uma posição na especial seguinte. Aí, ainda estava a 7.3s do então líder, Latvala, mas a segunda passagem pelos troços foi bastante mais complicada para si, perdendo quase mais trinta segundos e afastando-se da luta pelos primeiros lugares. De modo nenhum está afastado do triunfo do rali, mas tem amanhã que realizar uma prestação que ainda não deu sinais de poder fazer.

O dia ficou marcado por muita chuva e consequente lama, ‘oferecendo’ aos pilotos muito pouca aderência. Desta feita, rodar mais cedo na estrada não foi mau, mas na parte da tarde, com as trajetórias cheias de água, rodar na frente foi bem pior e por aí se justifica parte do tempo perdido por Ogier.

Jari-Matti Latvala esteve quase toda a manhã na frente e parte da tarde, mas esteve menos confiante quando as condições de estrada se degradaram ainda mais, e aí foi passado por Ott Tanak, que por sua vez também perdeu o primeiro lugar para Neuville, que venceu esta tarde dois troços seguido e ascendeu ao comando do rali. De manhã, Tänak tinha falhado um cruzamento e deixado o motor do seu Fiesta ir abaixo, Latvala erro na escolha da afinação do seu Yaris na parte da tarde. Hayden Paddon, sem muito a perder, andou o que pode, e deu-se bem, pois é quinto a 4.5s de Ogier.

Teemu Suninen tem vindo a realizar um excelente rali, é sétimo na sua estreia no WRC, Juho Hänninen, Stéphane Lefebvre e Mads Østberg completaram o top 10, com o melhor dos Citroën a ser o do francês.

Andreas Mikkelsen andou por posições modestas até ter danificado uma suspensão do seu Citroën C3 WRC, devido a um toque numa árvores depois duma ligeira saída numa zona rápida… e ficou bem pior. Nada corre bem na Citroën. Perdeu mais de 90 segundos. Craig Breen pilotou a manhã quase toda com apenas duas rodas motrizes devido a um problema de transmissão. Perdeu mais de sete minutos. Depois da excelente participação na Sardenha, Esapekka Lappi desistiu devido a um toque em que danificou a suspension dianteira direita. Amanhã, os concorrentes têm pela frente, 145 km divididos por nove troços.