Sebastian Vettel admite arrependimento: “Estou orgulhoso? Não”

A FIA não fez a ‘coisa’ por menos e juntou Sebastian Vettel e Lewis Hamilton na conferência de imprensa pré-GP da Áustria de F1, e como seria de esperar, o alemão desfez-se em desculpas, diz que tomou uma “decisão errada”, mostrou-se arrependido e Hamilton diz que para ele “o assunto está encerrado, aceitei as desculpas e segui em frente” acrescentando também que não sente que isso possa mudar a boa relação que têm: “Continuo a ter grande respeito pelo Sebastian enquanto piloto”, disse.

São as palavras naturais e esperadas, mas a prova dos nove só deverá surgir bem lá mais para a frente quando começarem a ‘faltar’ corridas e as coisas continuem tão equilibradas quanto estão agora ou algum deles precise de recuperar pontos. Aí sim, é que ambos vão poder demonstrar que as palavras que agora preferem não estão “vazias”. De qualquer forma, são bons sinais.

Logicamente, na conferência de imprensa ambos foram ‘bombardeados’, especialmente Vettel: “Já vimos várias vezes e de vários ângulos o incidente, eu fiz um comunicado, falei com o Lewis e não pretendo alimentar este assunto mais do que já foi. É nosso direito que fique entre nós o que falámos e é o que tenho para dizer. Foi uma decisão errada da minha parte, fui punido por isso e perdi o que poderia ter sido uma vitória na corrida. Como podem calcular não se podia prever que o Lewis teria problemas com o suporte do encosto da cabeça. Foi totalmente errado pôr-me ao lado dele e bater, acho que isso é que querem ouvir, mas não há muito mais que eu possa dizer. Fiquei surpreendido naquele momento, fiquei com a sensação que ele travou e não não consegui evitar o toque, mas sempre disse que não acreditava que isso tivesse acontecido de propósito, mas foi o que me pareceu naquele momento e foi por isso que fiquei tão irritado. Se estou orgulhoso disso? Não. Posso voltar atrás? Não. Arrependo-me? Sim”, concluiu Vettel.