Silly season’ do WRC prestes a ‘rebentar’…

Com seis semanas entre ralis, este é o momento perfeito para a ‘silly season’ do WRC ‘aquecer’ e perspetivam-se algumas mudanças, até porque existem jovens a bater à porta dos poucos lugares do WRC, como também existem nomes fortes, como Andreas Mikkelsen, disponíveis, isto para já não falar de um possível regresso de Sébastien Loeb.

Vendo a questão equipa a equipa, comecemos pela que mais conturbada anda, a Citroën. Apesar dos três pilotos terem contrato para 2018, o mais provável é que Stéphane Lefébvre volte a um programa com o novo C3 R5, pois a equipa precisamente rapidamente de pilotos que assegurem resultados e bons, ficando em stand by o ‘crescimento’ de novos valores. O futuro de Kris Meeke já poderá estar decidido na cabeça dos responsáveis, mas ainda não é público e se tivéssemos de apostar, Meeke fica mais um ano mas a equipa vai ter outro ponto de lança para assegurar resultados, tal como sucedeu na Alemanha. E deverá ser precisamente Andreas Mikkelsen o escolhido.

Craig Breen continua a crescer bem, e por isso vai continuar. Quanto a Loeb, acreditamos num rali ou outro, e ajudar a equipa com mais testes, mas nada mais do que isso. Fala-se também na possibilidade de Ogier não continuar na M-Sport e ir para a Citroën, e sabendo que Ogier quer sempre mais e melhor para fazer o que melhor sabe, é possível esta transferência, mas muito pouco provável porque Ogier não tem muita vontade de correr em três equipas em três anos seguidos…

Na Toyota, Jari-Matti Latvala e Esapekka Lappi estão garantidos para 2018 e tendo em conta o que se viu até aqui será Juho Hanninen a estar em cheque e para a equipa elevar mais o nível no segundo ano do seu regresso, o grande objetivo é Ott Tanak. Uma transferência bem possível, a não ser que a Ford dê ‘sinais de vida’.

Na M-Sport, nenhum dos seus pilotos tem contrato para 2018, embora isso não signifique que não continuam. Ogier pressiona a Ford a aumentar a sua ‘participação’ na M-Sport (ela existe, mas é essencialmente técnica e logística) Sebastien Ogier quer ficar e dar sequência ao trabalho deste ano e acreditamos que não será preciso muito mais para que fique, mas certamente não deseja que tudo fique como está. Se o contexto for esse, então o francês irá pensar muito bem na sua vida. Ogier tem a possibilidade de ir para a Citroën ou para a Hyundai, mas este piloto é mesmo a chave do mercado. Elfyn Evans deve ficar, dependendo dos seus atuais colegas permanecer com a DMack ou passar para os… pneus Michelin. Caso perca Ogier, o objetivo de Wilson será ser Campeão e começar tudo de novo com jovens lobos, como Teemu Suninen e Kalle Rovanpera…

A Hyundai tem os três pilotos assegurados para 2018, mas há rumores que refere a possibilidade de haver mexidas e nesse contexto, sair Hayden Paddon e entrar Andreas Mikkelsen… ou Ogier, pilotos que representariam um grande investimento para a equipa de Alzenau, mas certamente lhes elevaria o nível.

Hayden Paddon está este ano a marcar passo, Dani Sordo já está há algum tempo na sua curva descendente, assegura resultados maioritariamente em asfalto e uma dupla Thierry Neuville/Ogier ou Mikkelsen seria muito boa. Mas a sensação que fica é que Michel Nandan está à espera para ver o que fazem os seus pares para tomar decisões. Portanto, muito roda à volta de Sébastien Ogier e Andreas Mikkelsen, mas não deverá demorar muito até que existam decisões.