Silverstone ainda não desistiu de organizar GP britânico após 2019

O British Racing Drivers Club (BRDC) negou rumores de que já teria desistido de organizar o Grande Prémio da Grã-Bretanha após 2019.

Falou-se que o BRDC teria dito aos seus membros que talvez fosse melhor ativar a cláusula de rescisão do contrato depois da temporada de 2019. Duas semanas mais tarde o jornal The Sun publicou uma história de que o circuito iria desistir definitivamente da corrida.

Contudo esta semana os responsáveis por Silverstone emitiram um comunicado onde negaram que as negociações como o promotor da Fórmula 1 sobre o futuro da corrida tenham falhado e que esses rumores são “especulativos e errados”. John Grant, responsável do British Racing Drivers Club diz que a decisão sobre o assunto não precisa de ser tomada nos próximos meses: “O nosso objetivo é preservar o Grande Prémio da Grã-Bretanha em Silverstone por muitos anos, mas é claro que só o podemos fazer se fizer sentido economicamente”. “Como já dissemos anteriormente, estamos a estudar para os próximos seis meses se devemos notificar a nossa intenção de exercer a cláusula de rescisão, porque o contrato termina no final de 2019. Nenhuma decisão foi tomada, ou será tomada, até meio de julho”, garantiu o responsável do BRDC.

“Entretanto vamos aproveitar este período para estudar, esperemos que em privado, as várias formas como podemos trabalhar numa proposta mais sustentável”, referiu ainda John Grant. Na semana passada Derek Warwick, presidente do BRDC, disse estar otimista sobre o futuro, e que o grande prémio britânico só podia ser feito em Silverstone.

“Algum compromisso será feito, com Bernie (Ecclestone) ou com as novas pessoas que adquiriram a Fórmula 1, que é a Liberty”, afirmou o antigo piloto de F1, que avançou que o BRDC tem falado com o governo britânico na possibilidade deste dar algum tipo de apoio à corrida.

Nuno Barreto Costa / Autosport