Silverstone deixa de receber a F1 em 2019

O British Racing Drivers Club organizador do Grande Prémio da Grã-Bretanha acionou a cláusula para deixar de receber a prova, estando, programado o última visita da F1 para 2019, depois muitos meses de deliberação e que terminaram com uma conclusão pouco animadora. Manter a prova significaria perder muito dinheiro.

É que os custos com a prova britânica em Silverstone passaram de quase 13 milhões de euros em 2010 para 18.3 milhões em 2017, aumentando este valor 5% por ano, o que faria que este valor fosse de 28.3 milhões em 2026, ano em que o contrato termina com a Fórmula 1 termina.

“Esta decisão foi tomada porque não é financeiramente viável para nós continuar a receber a prova sob os termos atuais. Tivemos perdas de 3.1 milhões em 2015 e 5.4 milhões em 2016 e este ano a estimativa é perdermos mais ou menos isto. Chegamos a um ponto em que a paixão pelo desporto deixou de falar mais alto, isto colocaria em causa o futuro do circuito de Silverstone. No entanto quero manter claro que estamos abertos a negociar com a Liberty um novo contrato com uns valores mais baixos”, disse John Grant, presidente da British Racing Drivers Club.

Grant comentou ainda uma possível venda de Silverstone: “Estamos abertos a tudo com a Liberty, mas definimos nos últimos meses que a nossa estratégia é não vender Silverstone, achamos que não é preciso”. Também se sabe que os novos donos da F1 não querem abdicar de ter o Reino Unido no calendário, pelo que Dontington Park pode vir a ter as suas hipóteses no futuro.

Rodrigo Fernandes